BEEROCK

UM ANO DE CIDADE ROCK

PROGRAMA CIDADE ROCK ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO

DIA 02/12/2007 ÀS 19 HORAS

Para ouvir, sintonize a Rádio Cidade (105.5 mhz.)

ou acesse www.fmcidade.com .

Escrito por ALYSSON - 10h58
[ ] [ envie esta mensagem]

QUEM SABE FAZ AO VIVO!?

Revista escolhe os 25 melhores discos ao vivo de todos os tempos

A matriz da revista Rolling Stone fez uma pesquisa com seus leitores para saber quais são os 25 melhores álbuns ao vivo de todos os tempos.
A lista vai de The Who a Ramones, e ainda tem espaço para incluir o Daft Punk e seu recém-lançado Alive 2007. Para quem viu o show do duo eletrônico francês, vê-los na lista não é exatamente uma surpresa... Agora, adivinhe quem foi o único a botar dois álbuns na lista? Beatles? Rolling Stones? Errado!
Veja abaixo os 25 melhores álbuns ao vivo de acordo com a Rolling Stone. A revista ressaltou que não há uma classificação entre eles:

- The Who, Live at Leeds (1970)
- Kiss, Alive! (1975)
- Bruce Springsteen & the E Street Band, Live 1975-1985 (1986)
- The Ramones, It's Alive (1979)
- Bob Dylan & The Band, Before the Flood (1974)
- Daft Punk, Alive 2007 (2007)
- The Grateful Dead, Europe '72 (1972)
- Wilco, Kicking Television: Live in Chicago (2005)
- Phish, A Live One (1995)
- U2, Rattle and Hum (1988)
- Radiohead, I Might Be Wrong: Live Recordings (2001)
- Led Zeppelin, How the West Was Won (2003)
- The Allman Brothers Band, Live at Fillmore East (1971)
- Cheap Trick, Live at Budokan (1979)
- Neil Young, Live Rust (1979)
- Talking Heads, Stop Making Sense (1979)
- Jimi Hendrix, Jimi Plays Monterey (1986)
- Bob Dylan, The Bootleg Series, Volume 4: The Royal Albert Hall Concert (1988)
- The Rolling Stones, Get Yer Ya-Ya's Out! The Rolling Stones in Concert (1970)
- James Brown, Live at the Apollo (1968)
- Johnny Cash, At Folsom Prison (1968)
- The Band, The Last Waltz (1978)
- Nirvana, Unplugged in New York (1994)
- Band of Gypsys, Band of Gypsys (1970)
- Jay-Z, Unplugged (2001)

Fonte: Omelete / Escrito por: Luciana Maria Sanches

Escrito por ALYSSON - 11h34
[ ] [ envie esta mensagem]

GOIÂNIA ROCK CITY

Goiânia Noise se consagra como o melhor festival do país

Numa primeira impressão rápida, passando a vista pelo longo e belo cenário do Centro Cultural Oscar Niemeyer, o festival Goiânia Noise, que encerrou este fim de semana sua 13ª edição, impressiona. Com o passar dos três dias de show, o queixo cai ainda mais. Numa localização distante da cidade, com uma das mais bem montadas estruturas já vistas num evento do porte, funciona como um modelo para todos os festivais independentes do país.
O modelo beira a perfeição: as bandas trabalham nos bastidores, como roadies, apresentadores e responsáveis por palcos. As atrações se misturam, sem existir dias por gêneros. Mundo Livre S/A toca antes do Sepultura; Cordel do Fogo Encantado se apresenta após o Korzus. Assim, o público também desenvolve níveis de interação que superam qualquer noção de “tribo”. Como se o rock fosse uma força homogênea que une todos que adoram essa música, não importando suas ramificações.
O horário de verão não funciona muito bem para Goiânia, uma cidade de arquitetura muito jovem, lembrando muito pouco de uma grande metrópole. Os shows começam as 18h e, até às 20h, as bandas tocam debaixo de um sol forte. A importância política do Noise se percebe pelos visitantes que o festival recebe. Figuras nacionais como o produtor Miranda (atualmente do programa de TV Ídolos), representantes de selos internacionais e produtores dos principais festivais de todo o país. Todos vindos a convite do evento.
A curadoria da programação surpreende. Não existe, entre as 41 bandas que tocaram lá, alguma que seja visivelmente ruim, equivocada ou sem proposta. Todos os shows são proveitosos. Mas o palco desmistifica alguns nomes, como a local Barfly, que tem um ótimo disco, mas uma apresentação que deixa muito a desejar; assim como a Valentina, que fez seu último show da carreira. O contrário da Black Drawing Chalks, que compensa um disco regular com uma das melhores apresentações da noite. Entre os mitos da casa, só crescem o das bandas Violins e a instrumental Pata de Elefante, com shows que arrancavam coros (para o Violins) e aplausos seguidos de sorrisos e fanatismo (para ambos).
O Goiânia Noise serve de plataforma para novas promessas no pop nacional do cenário independente. Além das citadas, juntam ao time dos bons os shows dos bem humorados mods paulistas do Haxinxins; também de São Paulo a Ecos Falsos e, do Rio Grande do Sul, a banda Superguidis. Já no time dos excelentes, os cariocas da Pelvs; o gaúcho Júpiter Maçã e a estreante The Name, essa com um pop oitentista cantado em inglês.
Sendo um evento tão importante, as atrações principais se reforçam como grandes jogadores no campo nacional da música independente. Consagração para as pernambucanas do Cordel do Fogo Encantado e Mundo Livre S/A, que sem tocar em rádio ou participar de qualquer programação de TV, conseguem reunir um público cada vez maior em qualquer extremo do país. O Goiânia Noise deu ainda a oportunidade do Brasil conferir em primeira mão uma das bandas mais comentadas do novo pop internacional, a americana Battles (foto), que fez o melhor show dos três dias de evento.
Um paragrafo para o Battles. Mais uma banda que reforça como o formato pop do Brasil insiste em permanecer atrasados. Chovem bandas de guitarra-baixo-bateria. A experiência, quando existe, é em timbres, misturas de gêneros, mas nunca em novos sons. A banda americana reforça a importância de grupos menores, como os paulistas do Hurtmold e Guizado, de construir novas texturas e trazer novos sons para o universo da música pop. Com uma bateria na frente e várias mesas com computadores e samplers, desafiavam a experiência visual. O público atento procurava encontrar de onde saia cada novo som. E dessa troca, tinhamos um verdadeiro espetáculo.
Como atual centro dos festivais independentes do Brasil, o Goiânia Noise não encerra com sua programação. Os nomes que passaram pelos três dias de rock em um cada vez menos remoto Centro Oeste brasileiro já saem do palco com convite para integrar a programação de eventos em outros estados do país. E, cumprindo sua função, o festival independente põe para girar a nova música brasileira.

Fonte: Pop Up! / Escrito por: Bruno Nogueira

Escrito por ALYSSON - 11h27
[ ] [ envie esta mensagem]

WAR IN RIO

Designer cria tabuleiro de War ambientado no Rio de Janeiro

Se rir é o melhor remédio, o designer carioca Fabio Lopez achou a solução para a guerra civil não-declarada no Rio de Janeiro: War in Rio.
Com irônico selo "Crew", paródia da Grow, o tabuleiro criado por Lopez realoca o cenário da Guerra Fria do clássico War para as regiões da capital fluminense. Ao invés de tomar países, agora é preciso dominar favelas.
As cores dos exércitos agora têm razão de ser. As vermelhas, claro, são do Comando Vermelho, seguidas de azul (PM), branco (Milícia), verde (Terceiro Comando) e amarelo (Amigos dos Amigos). Todo mundo, porém, vai querer jogar com as pretas: a cor do BOPE.
O que impressiona, já que se trata de uma piada, é o nível de capricho que o designer dedicou ao baralho, ao tabuleiro... Não se espante se essa piada for mais longe e parar numa linha de produção de verdade.

Visite o blog de War in Rio: http://jogowarinrio.blogspot.com/

Fonte: Omelete / Escrito por: Marcelo Hessel

Escrito por ALYSSON - 11h23
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

EM GUAXUPÉ

Shows com:

Stond Renks - Poços de Caldas
Black Widow - Caconde
Seven Keys - Guaxupé
Major Rock - Guaxupé
Escape - Guaxupé
Imperfect Souls - Muzambinho

Rolará um campeonato de cerveja onde serão entregues aos maiores beberrões LPs clássicos de metal!

Entrada R$ 5,00 e a breja estará bem em conta...

Organização: Luis Henrique (Escape)
Apoio: Cerveja Itaipava

www.lastfm.com.br/event/430558

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 11h16
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

SAINDO DO FORNO

O Martelo dos Deuses - Felipe Machado

Editora: Arte Paubrasil

O guitarrista Felipe Machado, do Viper, lançou agora em novembro seu segundo livro. Intitulado Martelo Dos Deuses (Arte Paubrasil), trata-se de um romance sobre um serial killer que decide “limpar” o mundo de pessoas “más” através de golpes de martelo.
Machado tem uma linguagem bem cinematográfica que mistura um pouco de Stephen King com Stanley Kubrick. Além de músico e escritor, ele também é editor de multimídia do jornal Estado de São Paulo. Seu primeiro livro, Olhos Cor De Chuva, é de 2002.

Martelo Dos Deuses tem 128 páginas e pode ser adquirido via internet ao preço de R$ 25,00 através do site www.paubrasil.com.br .

Sinopse:

Cinco anos após o lançamento do elogiado romance de estréia Olhos Cor de Chuva (Escrituras Editora, 2002), Felipe Machado está de volta com seu segundo livro, O Martelo dos Deuses. Em seu novo trabalho de ficção, o autor aborda um tema explosivo e extremamente atual: a origem da violência. Em uma narrativa sofisticada e linguagem literária ambiciosa, o livro conta a história de um personagem que herda os genes da agressividade do pai e canaliza essa energia para transformar o mundo em um lugar melhor. Como? Matando pessoas más.Influenciado por obras como Laranja Mecânica, de Anthony Burgess, e thrillers clássicos como Assassino em Mim, de Jim Thompson, O Martelo dos Deuses traz uma trama perturbadora que avança em áreas como a filosofia e o comportamento humano, sem perder a ação e as pitadas de romance. O livro tem apresentação de Carlos Mauro, Vice-Diretor do Mind, Language And Action Group (MLAG), do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto, em Portugal, e o texto das orelhas é de Antônio Torres.

Post sugerido por: Neto / Fonte: Rock Brigade

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 11h12
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

MOMENTO FOTOLOG - Pt. 01

Guerrilha Gig #3

Dia 24/11/2007 - Franca/SP

Shows: Eletrodo / Alma Mater / UDJC / Lab / The Flag Pops

Exposição: Belisa / Discotecagem: AZ / Apresentação: Fabin

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 11h37
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

MOMENTO FOTOLOG - Pt. 02

Guerrilha Gig #3

Dia 24/11/2007 - Franca/SP

Shows: Eletrodo / Alma Mater / UDJC / Lab / The Flag Pops

Exposição: Belisa / Discotecagem: AZ / Apresentação: Fabin

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 11h28
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

A COLMÉIA RECOMENDA

LOS SEBOSOS POSTIZOS

"Eu quero ver / quando Zumbi chegar / o que vai acontecer", cantava um Jorge Ben ainda distante do Jor em meados dos anos 70.
Jorge du Peixe, Lúcio Maia, Dengue, Pupilo e Da Lua, mais da metade da Nação Zumbi, vêm explorando, sob o nome de Los Sebosos Postizos, a lavra das duas primeiras décadas de carreira de Jorge Ben em shows acachapantes.
O descompromisso dos Sebosos Postizos é a leveza que geralmente caracteriza os projetos paralelos. "É simplesmente a idéia de levar para o palco o que você gosta de ouvir no dia-a-dia, a idéia de se divertir nas brechas da Nação Zumbi", afirma Du Peixe, vocalista nos dois grupos. "Era algo comum na banda ouvir Jorge Ben, e começamos a tirar os clássicos dele, sem pretensão de rearranjar ou tentar atualizar."
Já o esquisito nome do projeto não surgiu influenciado por "África Brasil" ou "Samba Esquema Novo". Los Sebosos Postizos remete a um conjunto de referências: "Boogie, o Seboso", quadrinho do argentino Roberto Fontanarrosa; o guitarrista avant-garde de Nova York Marc Ribot, que se aventurou no afrocuban-soul com o grupo Los Cubanos Postizos; e a gíria recifense "seboso", que significa "um cara sem escrúpulos, no extremo da marginalidade. Alma sebosa é um cara que não vale nada", explica Du Peixe. "Mas, no caso, não somos sebosos, somos postiços", brinca.
Embora Jorge Ben domine o repertório do show, ainda há homenagens ao jamaican soul de Horace Andy e à sacana "Je T'Aime... Moi Non Plus", do francês Serge Gainsbourg, que não deixa de remeter ao nome do projeto.

Obs: Download do bootleg “Ao vivo no Sesc/SP” nas ferroadas.

Fonte do texto: Folha de São Paulo

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 11h15
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

SET LIST - CIDADE ROCK - 25/11/2007

1º BLOCO

01 - New York Dolls - Dance Like A Monkey
02 - Kiss - Psycho Circus
03 - Alice Cooper - Woman of Mass Distraction
04 - Hanoi Rocks - Transcendental Groove
05 - Backyard Babies - Dysfunction Professional

2º BLOCO

06 - Restos de Nada - Classe Dominante
07 - Cólera - Adolescente
08 - Agrotóxico - Fim do Mundo
09 - Garotos Podres - Garoto Podre
10 - Replicantes - Problemas

3º BLOCO

11 - Funeratus - Opression From the Past (Momento Beerock)
12 - Venom - Burn in Hell
14 - Possessed - Beast of the Apocalypse
13 - Celtic Frost - Progeny
15 - Hellhammer - Revelations of Doom

ERRATA: Por motivo de troca de transmissor, tivemos problemas técnicos durante o 2º Bloco. Além de ficarmos fora do ar por alguns instantes, a fala que indicava o som dos Replicantes, indicou a música do Agrotóxico.

Mais infos sobre o Funeratus: www.funeratus.com.br

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade:

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 11h29
[ ] [ envie esta mensagem]

GRITO 2008

Inscrições para o Grito Rock América do Sul estão abertas

O festival Grito Rock, maior evento integrado de música da América do Sul, abriu inscrições para as bandas interessadas em se apresentar no evento. Para a edição 2008 o festival passa a se chamar Grito Rock América do Sul, levando muito rock durante o carnaval para mais de 40 cidades, em cerca de 15 estados brasileiros, além de Argentina e Uruguai.
As bandas que quiserem participar do evento, que acontece entre os dias 25 de janeiro e 09 de fevereiro, devem enviar três músicas em mp3 com fotos de divulgação e release, até o dia 10 de dezembro (data de encerramento da maior parte das inscrições em todo o Brasil) para os endereços disponíveis na página do festival - www.gritorock.com.br.
De acordo com a organização do evento a expectativa é que a mais de 500 bandas componham a programação (que deverá ser divulgada até o dia 15 de dezembro). O Grito Rock América do Sul é uma criação do pessoal do coletivo Espaço Cubo de Cuiabá (MT) e do Circuito Fora do Eixo.

Fonte: Urbanaque

Escrito por ALYSSON - 11h16
[ ] [ envie esta mensagem]

RADIOHEAD NO BRASIL?

Após incontáveis boatos, finalmente o Radiohead falou sobre uma visita ao Brasil. O guitarrista Ed O’Brien revelou em entrevista à BBC Radio que o grupo estará em tour durante os meses de Maio, Junho e Julho do ano que vem e que decidiram ir a lugares que esperam a banda faz tempo, como a America do Sul. Ed falou: "Devemos ir ao Japão e provavelmente à América do Sul, onde nunca fomos antes. Argentina e Brasil".
Tudo indica que 2008 vai superar 2007 no quesito shows internacionais. Resta aguardar.

Escrito por ALYSSON - 11h15
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

EM FRANCA

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 12h14
[ ] [ envie esta mensagem]

FOME DE TUDO

Nação Zumbi faz show impecável para lançar o novo disco em São Paulo

Os "malungos" da Nação Zumbi levaram 2.000 pessoas para o show de lançamento do disco "Fome de Tudo", no Citibank Hall, em São Paulo, nesta quarta-feira (21). Com 63% da capacidade de lotação da casa de shows, o que se viu foi uma catarse coletiva e uma apresentação impecável, que durou cerca de duas horas, com sucessos de todos os álbuns.
No palco, os músicos mostraram por que a Nação Zumbi é a melhor banda do Brasil da atualidade. A bateria de Pupillo, a percussão de Gilmar e Toca Ogan e a guitarra de Lucio Maia mantêm ao vivo a mistura de peso e influências diversas, que vão do rock ao dub. Os mangueboys conseguem se reinventar por outros caminhos musicais, como no novo CD, agora mais pop e melódico do que os anteriores. A crítica social permanece afiada. Também é nítida a evolução visual do espetáculo da banda com o passar dos anos. Outro ponto que merece ser enfatizado é que os vocais de Jorge Du Peixe agora soam limpos ao vivo --é possível entender claramente as letras após os treinamentos de canto do produtor Mario Caldato, na preparação de "Fome de Tudo". É por isso que o grupo continua a empolgar a platéia com a mesma energia de 15 anos atrás.
Os destaques da apresentação foram as novas versões de antigos sucessos, ora mais "metaleiros", ora mais "afrobetianos" e calcados em música jamaicana; as participações especiais da cantora Céu e do cantor conterrâneo Junio Barreto; e quatro telões que exibiam belas imagens psicodélicas, da cultura popular nordestina, do símbolo da capa do novo CD, entre outras, criadas pelo coletivo de VJs Embolex.
O show começou por volta das 23h30, com "Bossa Nostra", do novo CD, que teve o seu ótimo clipe lançado antes do início da apresentação nos telões laterais da casa de shows. Todos os integrantes entraram vestidos com camisas vermelhas. Depois veio "Hoje, Amanhã e Depois", do penúltimo disco, "Futura".
"Viemos mostrar nosso novo 'rebento'. Está aqui o pessoal do Mombojó, da banda Eddie. Aqui só tem menino bom!", disse o vocalista. Bastante aplaudido desde o início, o grupo seguiu com "Propaganda", do CD de mesmo nome de 2002, quando o público de fato começou a dançar e a acompanhar a Nação com as mãos ao alto. "Tem alguém aí?", perguntou Lucio Maia, que introduziu o metal de "Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada". Aí todos pularam com a energia dos riffs metaleiros e com o pesar proveniente das alfaias.
Um dos momentos altos do show foi a nova versão da emocionante (e uma das poucas músicas românticas do grupo), "Risoflora", agora mais recheada de arranjos metaleiros. A música é do primeiro CD, "Da Lama Ao Caos", e foi composta por Chico Science para a sua namorada na época.
Em seguida a bela Céu entrou no palco com minissaia cinza e blusa preta e interpretou "Inferno", como no novo CD. "Maracatu De Tiro Certeiro" foi outro sucesso antigo tocado, seguido de uma das músicas novas, que se destaca pelo compasso bastante quebrado, "Carnaval".
"A fome existe. O Nordeste está aí. O novo trabalho é também para quem tem fome de arte, fome de cultura, fome de sonhos, fome de tudo", disse Du Peixe. Aí a projeção nos telões mostrava um homem de boca aberta engolindo vários ícones culturais e de comida ao mesmo tempo.
O conterrâneo Junio Barreto também apareceu para cantar "Toda Surdez Será Castigada", música gravada com a banda em "Fome de Tudo". Depois veio "No Olimpo", uma das melhores faixas do disco novo.
A Nação entoou ainda "Memorando", do "Futura", cuja letra fala dos grandes revolucionários da história do Nordeste, como o impiedoso cangaceiro Lampião e o líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi.
Antes do primeiro bis, Lucio Maia anunciou, em acordes de música jamaicana e com um quê de afrobeat, como o líder do gênero musical, o nigeriano Fela Kuti: "You can't runaway from yourself" [Você não pode fugir de você mesmo], uma breve introdução para "Samba Makossa", quando aconteceu uma catarse coletiva que se estendeu com "Maracatu Atômico". O percussionista Toca Ogan ainda fez show usual de coco de roda quando parece incorporar uma entidade de candomblé, tamanha a energia que ele solta no palco.
A banda saiu e voltou rapidamente para apresentar clássicos da carreira. "Em 1991, lá em Rio Doce, bairro de Olinda onde fomos criados, Chico virou pra mim e disse: 'rapaz, eu tô com um riff 'cabuloso' aqui na cabeça' [em 'pernambuquês', leia-se danado, complicado]". Foi assim que eles criaram "A Cidade", hit que embalou de vez os presentes. O primeiro bis ainda contou com "Da Lama Ao Caos" e "Manguetown".
O segundo bis veio com "A Praieira" e "Quando a Maré Encher", composta pela banda olindense Eddie e que ficou famosa com a Nação.
"Obrigado! São Paulo se transformou na nossa casa", disse Maia ao final. O público saiu visivelmente satisfeito. Não é por menos, todos estavam diante da melhor banda do Brasil, que sempre se supera em sua evolução ao longo de quase 20 anos de estrada.

Veja um tercho do show aqui: http://showlivre.uol.com.br/videos.php?video_id=26887&conteudo_id=285&eventoId=2920&video_aberto=S

Post sugerido por: Neto  /  Fonte: Uol / Texto por: Gabriela Belém

Escrito por ALYSSON - 11h57
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

SAINDO DO FORNO

Hanoi Rocks - Street Poetry

O Hanoi Rocks é uma banda de glam hard rock filandesa, do início dos anos 80. Estão pro hard farofa oitentista de Guns, Motley Crüe e afins, assim como o Sabbath está pras bandas stoner. Posso afirmar e acho que muitos concordam comigo que beber na fonte é muito melhor. Então, antes de dizer que o Guns n’ Roses foram a melhor banda deste estilo em todos os tempos, vale uma conferida no som do Hanoi. Street Poetry é o novo álbum dos caras, o décimo de estúdio em 28 anos de carreira.  É um dos poucos discos de Hard Rock que ouvi na minha vida que não tem nenhuma balada, nenhuma! Uma maravilha! Tão bom quanto os primeiros discos da banda, mas finalmente com uma produção decente. Enquanto Axl Rose enrola pra lancar o novo play do Guns, os tiozinhos do Hanoi seguem mandando brasa.

Ouça aqui: www.myspace.com/hanoirocksofficial

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 11h53
[ ] [ envie esta mensagem]

LÍNGUA SOLTA

Líder do Kiss fala tudo o que pensa sobre quem baixa músicas de graça

Em um papo que acontece regularmente com a Billboard, o baixista linguarudo do Kiss, Gene Simmons, falou um pouco sobre o presente e futuro da banda. Simmons disse que o Kiss vai fazer 15 shows nos Estados Unidos, acompanhando o campeonato de Fórmula Indy, e tem mais seis datas na Austrália e Nova Zelândia, tudo isso para dar apoio ao lançamento do terceiro DVD da Kissology, pacote de pelo menos dez DVDs que sairão nos próximos anos e pretendem contar a história da banda.
Quando perguntado sobre a possibilidade do Kiss voltar a estúdio em um futuro próximo, ele praticamente disse para os fãs perderem as esperanças. E a culpa é de quem baixa música ilegalmente pela Internet. Em suas palavras: "A indústria fonográfica está uma grande bagunça. Eu previ isso quando a garotada começou a baixar músicas de graça, disse que eles eram uns ladrões. Eu disse a todo selo e gravadora com os quais falei que eles haviam acendido o pavio de sua própria bomba e que ela explodiria embaixo deles e os mandaria para a rua".
"Não há nada em mim que queira entrar em estúdio e gravar novas músicas", continuou. "Como você vai comercializá-la? Como você será pago por ela se as pessoas podem obtê-la de graça? Eu lançarei um box set de Gene Simmons chamado Monster, uma coletânea de 150 músicas inéditas. E ano que vem faremos o mesmo com material do Kiss. Mas o fato é que a indústria fonográfica não tem a mínima idéia de como fazer dinheiro. E é culpa deles mesmos por deixarem as raposas entrarem no galinheiro e depois ficar pensando no porquê de não haver mais ovos ou galinhas. Cada guri de colégio, cada um desses folgados deveria ser processado até sumir da face da Terra. [A justiça] deveria ter tomado seus carros e casas logo no começo. Isso não me afeta de verdade, mas imagine a situação de uma banda nova, com o sonho de se apresentar ao vivo e gravar seu próprio álbum. Elas podem esquecer isso."
Questionado sobre as novas maneiras procuradas por bandas como Radiohead e Trent Reznor de comercializar suas músicas, Simmons continuou taxativo: "Isso não conta. Você não pode usar uma pessoa como exceção. E esse não é um modelo de negócios que funcione. Eu abro uma loja e digo 'entre e pague o quanto quiser'. Você está doido? Acredita mesmo que esse modelo de negócios funcione?".
O ícone do Kiss também não acredita que seja possível uma banda viver apenas de shows e merchandising, deixando que sua música seja baixada de graça. "Bom, esse é o erro mais estúpido que se pode cometer. A parte mais importante é a música. Sem isso, pra que se preocupar? Até mesmo a idéia de dar música de graça torna mais fácil fazê-lo. A única razão do ouro ser caro é porque todos concordamos com isso. Não há uma razão lógica para isso, exceto que todos concordamos e aceitamos a idéia de que o ouro custe uma certa quantia de dinheiro. Assim que você der às pessoas uma idéia que se desvie disso, há caos e anarquia. E é isso o que está acontecendo [com a indústria fonográfica]".
É bom lembrar que o Kiss é um dos maiores exemplos de enriquecimento com merchandising da indústria musical, tendo colocado a marca em praticamente todos os produtos possíveis e imagináveis, de camisinhas a caixões. Segundo o próprio Simmons, apenas companhias como a Disney e a LucasFilms batem o Kiss nesse quesito.

Fonte: Omelete / Escrito por Rodrigo “Piolho” Monteiro

Escrito por ALYSSON - 12h31
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

1º CONTATO - FESTIVAL MULTIMÍDIA

DE 22 À 25 DE NOVEMBRO EM SÃO CARLOS - SP

Programação completa aqui: www.contato.ufscar.br

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 16h43
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

EM RIBEIRÃO PRETO

SHOW: MAQUINADO

Projeto pararelo do guitarrista Lúcio Maia (Nação Zumbi)

Dia 07/12/2007 às 21:00 h, no Sesc de Ribeirão Preto.

Mais infos: www.myspace.com/maquinado

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 12h19
[ ] [ envie esta mensagem]

EMORRÓIDAS

 

Escrito por ALYSSON - 12h11
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

A COLMÉIA RECOMENDA

Oz - Sangre de Dios (RVC Music/Berlin Records) 1995

Tae um disco que eu tava atrás há tempos. O Oz é uma banda cult da cena candanga dos anos 90, que desapareceu sem deixar vestígios. Houveram vários boatos que apimentaram os motivos do fim do grupo, mas a verdade é que nada é certo! Só se sabe que há mais um disco que a banda gravou e que não chegou a ser lançado por causa do fim do grupo. Bom, a banda tinha o som calcado em Pixies, Dinossaur Jr e Sonic Youth, numa mistura entre punk, surf e o melhor do som alternativo. As letras eram quase todas em inglês (e até em francês), mas numa linguagem bem brasileira. O disco foi lançado por uma gravadora mainstream, mas teve uma produção capenga, e isso na época foi uma opinião unânime. A arte também deixou muito a desejar. Somando tudo isso à péssima distribuição, o disco ficou praticamente no esquecimento, com exceção é claro, dos que viveram a época e que faziam parte da cena roqueira. Apesar de tudo, Sangre de Dios é um clássico. Um dos melhores discos de rock alternativo que sem tem notícia.

Obs: Link nas ferroadas.

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 12h05
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

DERRETIMENTO PURO CONCENTRADO

Daevid Allen & Gong Global Family fazem shows no Brasil

O músico, poeta e performer inglês Daevid Allen volta ao Brasil, acompanhando do grupo Gong Global Family, para fazer shows em São Paulo e São Carlos.
Daevid Allen iniciou sua carreira em 1966, quando formou o Soft Machine, na Inglaterra, no auge da Swing London. A banda se apresentava ao lado de Jimi Hendrix Experience e do Pink Floyd, no UFO Club. Depois de deixar sua marca no rock psicodélico inglês, Daevid foi para a França, onde formou o Gong, um grupo multicultural cuja marca foi a psicodelia, dadaísmo e improvisação.
Durante sua época no Gong, Daevid criou a trilogia "Radio gnome invisible", que conta a história das aventuras de Zero num mítico planeta verde habitado por gnomos, os Pot Head Pixies. Foi em seu período com o Gong que Daevid inventou sua técnica de Glissando Guitar, com a qual extrai um som onírico de sua guitarra, construindo paisagens sonoras psicodélicas.
Ao longo de sua trajetória, Daevid sempre esteve na vanguarda, como nos anos 60, quando esteve ao lado dos poetas da geração beat como William Burroughs, em Paris, em maio de 68, ou no final dos anos 70, em Nova York, ao lado de bandas emergentes como o Material.
Em 1992, Daevid veio ao Brasil para participar da conferência mundial RIO-92, onde se apresentou ao lado de Fabio Golfetti.
Em 2006, o Gong foi redescoberto pela mídia inglesa e um festival de três dias em Amsterdam reuniu várias bandas relacionadas e influenciadas pelo Gong, culminando numa reunião da formação clássica do Gong.
Daevid Allen & Gong Global Family é o nome dado para essa reunião no Brasil: três projetos no mesmo show, incluindo Fabulous (Daevid & Josh), University of Errors (Daevid, músicos americanos e Fred Barley como convidado na bateria) e Invisibops (músicos brasileiros que já participaram de seus projetos, como Glissando Orchestra e Invisible Opera Company of Tibet).
O repertório é baseado no primeiro disco do Soft Machine, ("Jet propelled photographs") e no álbum "Era camembert electrique", do Gong.

Veja a programação completa no site: www.invisivel.com.br/daevid

Serviço:
Daevid Allen & Gong Global Family - Teatro Popular do SESI - Data: 20 de novembro, às 20 horas. Centro Cultural FIESP (Teatro Popular do SESI. End.: Av. Paulista, 1.313 - Cerqueira César - São Paulo. Fone: (11) 3146-7405 / 3146-7406. Ingressos: R$ 3

Studio SP - Data: 21 de novembro, às 22h. Rua Inácio Pereira da Rocha, 170 - Vila Madalena - São Paulo. Fone: (11) 3817-5425. Ingresso: R$ 25. Vendas na bilheteria da casa. Preço promocional a R$ 15,00 (com nome na lista pelo e-mail: studiosp@studiosp.org)

Festival Contato (UFSCar) - Data: 24 de novembro, às 21h. Estação Cultura. Praça Antonio Prado, s/nº (antiga Estação FEPASA) - São Carlos/SP. Fone: (16) 3351-8782. Entrada gratuita

Fonte: O Globo

Post sugerido por: Torrêmo

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 12h02
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

SAINDO DO FORNO

Enfim sai no Brasil uma das mais comentadas HQs dos anos 90

Brat Pack, um dos quadrinhos mais comentados no início dos anos 90, sai no Brasil nos próximos dias. A obra escrita e desenhada por Rick Veitch - que já foi anunciada alguns anos atrás pela Brainstore, antes de seu fechamento - sairá pela editora HQManiacs.
A graphic novel é uma sátira ácida ao universo dos super-heróis, particularmente dos parceiros-mirins. Lembrando o episódio da morte do Robin Jason Todd - quando, em 1988, a DC estabeleceu uma votação via telefone entre os leitores pela morte ou vida do parceiro de Batman -, a HQ começa com um locutor de rádio defendendo a morte de todos os jovens heróis em uma cidade tomada por combatentes do crime.
Veitch é conhecido pela polêmica e pela veia satírica. Após colaborar com Alan Moore em Miracleman e Monstro do Pântano como desenhista, ele assumiu os roteiros desta última série - mas foi sumariamente demitido pela DC após insistir em uma história onde o personagem encontrava Jesus Cristo (ele encarnaria na madeira da cruz).
O autor começou então uma série de projetos autorais, que incluem Brat Pack, Maximortal e The One, nas editoras Tundra e King Hell - esta última, criada pelo próprio Veitch. Nos anos 90, ele voltou a trabalhar com Moore em Supremo e com o personagem Greyshirt na antologia Tomorrow Stories. Mais recentemente, ele voltou à DC escrevendo edições de Aquaman e uma minissérie do Questão. No ano passado, ele lançou ArmyLove, série da Vertigo que é sucesso de crítica ao satirizar o exército dos EUA.
Brat Pack, publicada originalmente como minissérie em 1991, foi relançada e "remasterizada" em 2003. Veitch fez mudanças na histórias - inclusive na sua conclusão - e publicou-a em edição única. É esta nova versão, com prefácio de Neil Gaiman, que chega às comic shops brasileiras.

O álbum tem 184 páginas e custa R$ 29,90.

Fonte: Omelete / Escrito por: Érico Assis

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 11h58
[ ] [ envie esta mensagem]

FOGO NA VELA

No dia 17 de novembro de 2006, o blog Beerock entrava no ar. De lá pra cá, foram inúmeros posts e muitas ferroadas, sempre com o objetivo de promover o rock n' roll em suas mais variadas vertentes, com atenção especial a cena independente. Com posts que abragem resenhas, dicas de shows, livros, filmes e o caralho A4, o blog Beerock já conta com um pequeno enxame de visitantes assíduos.

Deixo aqui meu agradecimento à todos que acessam e principalmente aos colaboradores que sugerem posts ou que nos ajudaram de alguma forma durante esse ano de atividade.

Estamos com muitas idéias em pauta. 2008 promete.

Valeu!

Escrito por ALYSSON - 11h11
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

SET LIST - CIDADE ROCK - 18/11/2007

1º BLOCO

01 - Wezzer - Take Control
02 - Sparta - Cut Your Ribbon - Live
03 - Eletrodo - Chapeuzinho Vermelho (Momento Beerock)
04 - Smashing Pumpkins - Doonsday Clock
05 - Foo Fighters - The Pretender

2º BLOCO

06 - Plebe Rude - Pressão Social
07 - Ira! - Pecado
08 - Borderlinerz - Palavraz
09 - Cascadura - Ele o Super-herói
10 - Rockz - Oras Bolas!

3º BLOCO

11 - Dio - Push
12 - Diamond Head - Pray for Me
13 - Trouble - Gideon
14 - Candlemass - Dark Are The Veils Of Death
15 - Corrosion of Conformity - Shake Like You

Mais infos sobre o Eletrodo: www.myspace.com/eletrodo

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade:

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 10h57
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

SAINDO DO FORNO

Mojo Book - Vulgar Display of Power

Autor: Carl Hetfield

Se um disco pudesse ser convertido em palavras, que história que ele contaria? Essa é a proposta da MOJO BOOKS, editora virtual que promove a junção da música com a literatura. Vários álbuns já ganharam sua versão literária através do projeto, que disponibiliza os livros para download totalmente gratuito.
O mais novo rebento é nada mais nada menos que um dos maiores clássicos do metal mundial, o álbum Vulgar Display of Power, do Pantera, recontado por Carl Hetfield.

Segue release:

Para Donnie, negócios são prazer. Ele faz justiça, pelo menos em sua cabeça. Num mundo violento e sujo, ele conta alguns momentos de uma existência seca, um "soco na cara", osso batendo contra osso. Monte você mesmo o quebra-cabeça psicológico que é matar por esporte e ainda receber para isso.
Entre o mundo da música e do assassinato profissional, Donnie segue como um serial-killer bem remunerado. Carl Hetfield entra de corpo e alma na perturbação causada pelo autor nas vítimas... e vice-versa. Regra número um do assassino profissional: nunca se envolva com um cadáver ainda vivo.

Sobre o autor:

Carl Hetfield, a.k.a Carlos Carvalho, tem 21 anos e é estudante de administração de empresas e guitarrista sempre que possível. Já participou de algumas bandas tocando guitarra, teclado, baixo e cantando. Como escritor, não produziu muito além das aulas de redação no colégio e textos que não quis que ninguém lesse. Quando conheceu a Mojo, se identificou na hora, sentiu que poderia colocar um metal no tempero da coleção.

Três perguntas para o autor:

Por que você escolheu esse disco?
"O Pantera é uma das minhas bandas preferidas, eu já tinha a história do conto na cabeça então escolhi o álbum Vulgar display of power por ter o clima certo, a sonoridade agressiva e multifacetada que combinava perfeitamente com o ambiente meio Sin City que eu tinha na cabeça.

Como foi o processo de transformar música em literatura?
Foi muito interessante, por que sou um músico escritor e não o contrário. Então analisei o disco nos detalhes para que cada passagem do livro ficasse adaptada à música. Exemlplificando: quando a música tinha um compasso mais marcado foi necessário colocar ações ritmadas, e repentinamente trazer um lado frenético ao personagem quando as guitarras do Dimebag Darrel se evidenciavam em fúria.
Eu também tentei sincronizar o tempo de leitura dos capítulos com o tempo das faixas (embora isso varie muito de pessoa para pessoa). Portanto além da técnica escrita procurei trazer muitos aspectos da composição musical para produzir uma sinergia entre texto e som.

Com qual canção do álbum você falaria para o leitor iniciar seu conto?
Eu sugiro começar com a primeira faixa "Mouth For War" já que o livro conta uma história a partir do disco, com um capítulo para cada faixa.

Faça o download do livro aqui: www.mojobooks.com.br

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h52
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

SAINDO DO FORNO

Segue release:

Desde o primeiro ensaio o POISONGOD sempre teve como objetivo principal a divulgação de sua música para o maior número de pessoas possível, independente do veículo usado para tal.
Acreditamos na nossa MÚSICA e na nossa integridade. O dinheiro nunca foi e nunca será força motriz no contexto da banda. Fazemos o que amamos, mesmo que não nos traga retorno financeiro algum.
O mercado musical vive hoje o ápice de uma guerra entre dois mundos: O da indústria fonográfica e o da Internet.
Aos poucos vamos percebendo quem sairá vitorioso nessa guerra.
É uma questão de tempo.
A AMBIÇÃO desmedida da indústria fonográfica massacrou o mercado através da prática de preços ABUSIVOS por anos. O consumidor pagava o preço que ELES queriam.
E rogava por uma RESPOSTA.
Esta resposta veio sob o nome de INTERNET.
Não discutimos virtudes e defeitos de ambos os lados. Estamos aqui unicamente para DIVULGAR a nossa música. O POISONGOD se preocupa exclusivamente com a qualidade de sua música e a quantidade de pessoas que podem ser alcançadas com ela.
Nada mais. O resto é conseqüência.
Pode ser que um dia “DAEMONCRACY” venha a ser lançado oficialmente. Mas a verdade é que os preços abusivos praticados pelas partes integrantes do mecanismo de fabricação de um CD levam a crer que essa hipótese tende a se tornar apenas mais uma utopia.
Por isso resolvemos liberar o DOWNLOAD completo do primeiro álbum do POISONGOD.
“DAEMONCRACY” foi concebido com o intuito de satisfazer a nós mesmos e a todos os ouvintes da boa música pesada.
Os temas tratados no álbum são a nossa interpretação acerca de todas instituições (na sua maioria organizadas) que impõe suas arbitrariedades ao ser humano visando lucro fácil e poder.
Por isso, seria um equívoco não liberar "DAEMONCRACY" gratuitamente.
Baixem, ouçam e espalhem "DAEMONCRACY" por todos os cantos do globo.

Bem Vindos ao Novo Governo!
Nós agradecemos imensamente,
PoisonGod.

Download aqui: www.poisongod.com

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 12h19
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

A COLMÉIA RECOMENDA

O Nordeste dos jagunços em quadrinhos

Um mundo chamado Guimarães Rosa, que inventou palavras e expressões e compôs um universo com nosso sertão nordestino, de jagunços e rixas, de superstição e causos, e que lnaturalmente levaria inspiração a tantos outros autores de diversos genêros, também chegou aos quadrinhos no já clássico Estórias Gerais, com história de Wellington Srbek e desenhos de Flávio Colin (1930-2002). Uma fábula brasileira, no melhor estilo épico passado todo no sertão mineiro, narrando uma história shakesperreana, com conflito, traição e romance.
Publicado em 1998, o livro foi lançado com recursos do governo mineiro e apenas mil exemplares colocados à venda, a edição de cara esgotou. O título logo ganhou os principais prêmios brasileiros: dois HQ MIX e dois Troféus Angelo Agostini, além de ser levado ao espanhol, Tierra de Historias em julho do ano passado, pela editora Editions du Ponent.
A Conrad trouxe recentemente, em edição especial, esse marco dos quadrinhos nacionais às livrarias de todo o Brasil, todo em preto & branco, em papel reciclado e ainda traz uma história inédita em cores.
A narrativa é dividida em seis partes que se entrecruzam, mas que podem ser lidos separadamente. Ambientada no início do século XX,lá pelos anos 20, onde Ulisses de Araújo, um jornalista da capital viaja ao viralejo de Buritizal, uma cidade fictícia no norte de Minas, para obter informações sobre a história de dois grupos de bandoleiros que se digladiam pela região, cujos líderes, Manoel Grande e Antonio Mortalma são vistos como indíviduos miticos, cada qual com suas personalidade antagônicas, uma versão maniqueísta da eterna luta do bem e do mal. Cada personagem, do caboclo ao padre, contam sua versão dos fatos acontecidos na região, como fossem contadores de histórias contando seus causos.
Uma obra que segundo a introdução de Srbek, é um manifesto em forma de declaração de amor ao Brasil, onde elementos culturais, ambientais e históricos de nosso país são valorizados e homenageados. A pesquisa que fez, foi baseado no já citado universo de Guimarães, mas também além procurou trazer a graphic novel a ambientação e linguagens em obras de escritores como Dias Gomes, Ariano Suassuna, para traduzir a nossa tradição regionalista aos quadrinhos. Estórias Gerais é considerado um clássico devido a esse eco que dá aos grandes nomes que desbravaram os nossos sertões.
O roteiro ganha vida nas mãos do mestre Colin, que usa traços minimalistas para compor o cenário, como uma xilogravura, é o ponto máximo da obra, levando Estórias Gerais ao patamar de melhor quadrinho brasileiro já lançado.

Fonte: Poppycorn / Escrito por: Cadorno Teles

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 12h14
[ ] [ envie esta mensagem]

RATOS EM SHOW HISTÓRICO

No próximo dia 24 o Ratos de Porão fará show pra entrar pra história no Hangar 110, em São Paulo. A banda irá executar 2 álbuns clássicos de sua discografia na íntegra: "Crucificados Pelo Sistema" e "Brasil".

Serviço:
Data: 24/11
Horário: 19h
Bandas de abertura: Agrotóxico, Nerds Attack e By War
Local: Hangar 110 (São Paulo)
Ingressos antecipados na Estrondo
R$ 10 antecipado
R$ 15 na porta

Escrito por ALYSSON - 12h11
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

QUARENTÃO

Pink Floyd - The Piper At The Gates of Dawn - 40th anniversary

A grande efeméride do ano foi o clássico dos Beatles Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band ter chegado ao time dos “enta”. Mas naquela mesma época, quarenta anos atrás, e no mesmo estúdio (o lendário Abbey Road) outro clássico foi gestado e parido: The Piper At the Gates of Dawn do Pink Floyd.
Enquanto os Beatles tentavam expandir as possibilidades criativas através da psicodelia, o Pink Floyd já nascia esquizofrênico e “cabeçudo” como o gênero requer. Foi muito por conta desse disco, praticamente inteiro composto por Syd Barrett antes de sucumbir à loucura (e muito provavelmente o único lampejo criativo de sua carreira) que a banda foi considerada um expoente máximo do rock pscicodélico.
Reação natural às músicas transcendentais como “Astronomy Domine” e “Interstellar Overdrive”, viajadas como “Matilda Mother”, “Pow R. Toc H.” (um trocadilho com uma expressão que significa maconha) e “The Gnome”. Sem contar que a sonoridade sinistra que as envolvem e o baixo pulsante de Roger Waters podem ser consideradas a gênese do que hoje viria a ser conhecido como “pós-punk” – ouça “Lucifer Sam” e comprove.
Um disco tão influente como o de estréia do Pink Floyd não poderia ficar sem ganhar uma edição especial. O grande porém, é que os fanáticos brasileiros não têm muito o que ganhar com a versão disponível no mercado nacional a não ser um disco em mono (talvez pra simular uma viagem de volta ao tempo, vai saber), e outro em estéreo.
Já os gringos pagam dois e levam três: um disco com lados B lançados na mesma época do álbum e capinha estilosa. Mas fanatismo, geralmente, não se discute.

Fonte: Urbanaque / Escrito por Bruno Dias

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 11h59
[ ] [ envie esta mensagem]

REPAGINAÇÃO

Mutantes anuncia dois novos integrantes

Foram anunciados dois novos integrantes na formação dos Mutantes: o baixista Liminha, que já participou da banda nos anos 70, e a cantora Karina Zeviani (foto), que fez shows com o Thievery Corporation.
Liminha entra nos Mutantes para substituir Arnando Baptista e Karina substitui Zélia Duncan, cantora que fez as vezes de Rita Lee no retorno da banda em 2006.
Duncan deixou os Mutantes para dar mais atenção à sua carreira solo e Baptista por ter outros projetos para se dedicar, como uma autobiografia e um livro de ficção, dois álbuns da Patrulha do Espaço, sua outra banda, e uma exposição com suas pinturas e esculturas.
O baterista Dinho Leme e o guitarrista Sérgio Dias anunciaram que já estão gravando faixas novas na casa do guitarrista, inclusive parcerias com o compositor Tom Zé.
Parados desde 1978, os Mutantes retornaram em 2006 para uma série de shows no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos, gerando o lançamento de um CD duplo e DVD da banda brasileira tocando no Barbican Theatre de Londres em maio de 2006.

Fonte: Omelete

Escrito por ALYSSON - 12h25
[ ] [ envie esta mensagem]

NOVELA

Edgard Scandurra anuncia que Ira! está mudando de nome

O guitarrista do Ira!, Edgard Scandurra, deixou uma mensagem na comunidade da banda no Orkut no dia 12 de novembro, anunciando que ele, André Jung e Ricardo Gaspa, os membros remanescentes do grupo após a saída do vocalista Nasi, vão seguir juntos, mas com outro nome.
Scandurra escreveu que por enquanto os três vão atender por Trio, porque não vêem mais sentido em usar o nome Ira!, especialmente depois das matérias veiculadas pela imprensa, em que Nasi botou a boca no mundo.
O guitarrista, entretanto, não renega o passado e esclareceu que vai continuar tocando clássicos da banda nos shows.

Fonte: Omelete

Escrito por ALYSSON - 12h23
[ ] [ envie esta mensagem]

EM GUAXUPÉ

Escrito por ALYSSON - 16h43
[ ] [ envie esta mensagem]

LED MANDARÁ GRANA PRO BRASIL

Segundo o jornal "The Sunday Times", três pares de ingressos para o show do LED ZEPPELIN em Londres serão leiloados hoje pelo site Seatwave.com.
O lance mínimo para a compra de cada par é de aproximadamente R$9 mil, mas a expectivata é que o valor de duas entradas ultrapasse a casa dos R$36 mil.
Os ingressos VIP para o show histórico darão direito a uma festa depois do show, e a renda obtida com o leilão vai para a Action for Brazil's Children Trust, organização fundada pelo guitarrista Jimmy Page, para ajudar crianças e jovens brasileiros.
Para conhecer mais sobre a Action for Brazil's Children Trust, acesse www.abctrust.org.uk. Os ingressos deste show de retorno do Led são considerados os mais caros da história.

Post sugerido por: Neto / Fonte: Whiplash

Escrito por ALYSSON - 10h17
[ ] [ envie esta mensagem]

BOATOS

Segundo nota divulgada pela Rock Hard Valhalla, empresários brasileiros estão negociando a vinda de três monstros do rock para 2008. VAN HALEN, OZZY OSBOURNE e BLACK LABEL SOCIETY devem se apresentar juntos na segunda quinzena de março no Brasil.
Outras duas bandas que estão bastante cogitadas para tocar no Brasil em 2008 são o QUEEN (com Paul Rodgers) e o KISS. O NAZARETH volta também ao país para a turnê de celebração de 40 anos de banda (16/05 em Curitiba, 17/05 em Salvador e 18/05 em São Paulo).

Post sugerido por: Neto / Fonte: Whiplash

Escrito por ALYSSON - 10h15
[ ] [ envie esta mensagem]

PÂNICO EM SP

Brujeria volta a SP pra show único em dezembro

O Brujeria volta ao Brasil agora em dezembro e faz uma única apresentação no país. O grupo toca em São Paulo no dia 8/12, juntamente com o Claustrofobia. O show será uma matinê no Inferno e começará às 18h. O ingresso antecipado (vendas a partir de 19/11) terá o mesmo preço de 2004, quando a banda esteve no país: R$ 50,00. Na porta custará R$ 70,00. O Inferno Club fica na Rua Augusta 534, São Paulo (SP). Info: (11) 3120-4140.
O Brujeria é um lendário grupo de metal extremo. Seu nome vem de uma palavra espanhola que em português significa Bruxaria. A atitude satânica, narcótica e mascarada de seus membros tem sido o passaporte para o sucesso, mesmo assim, eles tem realizado vários shows pelos Estados Unidos e América Latina.
O Brujeria nasceu claramente como um projeto de seu membro principal, o robusto “Asesino”, também conhecido como Dino Cazares (Fear Factory) e ao longo de sua existência nomes como Billy Gould (Faith No More), Nicholas Barker (Testament, Cradle of Filth, Dimmu Borgir, Old Man’s Child e Lock Up), Raymond Herrera (Fear Factory), Jeff Walker (Carcass, Napalm Death) e Shane Embury (Napalm Death e Venemous Concept) marcaram presença na formação do grupo.
A formação mudou bastante ao longo da história e continua mudando constantemente. Para o show de São Paulo a formação contará, além dos membros principais, com Shane Embury (Napalm Death), Adrian Erlandson (Cradle Of Filth/ At the Gates), Jeff Walker (Carcass/ Napalm Death).
Na última e única vez que o grupo se apresentou em São Paulo em 2004 no Hangar 110, mais de 1400 pessoas compareceram aos dois shows realizados em dias de semana. Para esta apresentaçào em um único dia no Inferno, as expectativas são de casa cheia.

Post sugerido por: Neto

Escrito por ALYSSON - 10h14
[ ] [ envie esta mensagem]

---------------------------------------------------

SET LIST - CIDADE ROCK - 11/11/2007

1º BLOCO

01 - Pink Floyd - Run Like Hell (live)
02 - Jethro Tull - Locomotive Breath
03 - King Crimson - I Talk To The Wind.
04 - Focus - Hurkey Turkey

2º BLOCO

05 - Clube da Esquina - Trem de Doido
06 - Violeta de Outono - Lágrimas do Dragão
07 - Som Nosso de Cada Dia - Sinal da Paranóia
08 - O Terço - Hey Amigo

3º BLOCO

09 - Glory Opera - The Darkest Fear (Momento Beerock)
10 - Yngwie Malmsteen - Rising Force
11 - Cacophony - Where My Fortune Lies
12 - Dream Theater - As I am
13 - Pain of Salvation - Ashes
14 - Angra - Nova Era

Mais infos sobre o Glory Opera: www.myspace.com/gloryopera

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade:

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 09h30
[ ] [ envie esta mensagem]

POISONGOD LANÇARÁ "DAEMONCRACY" NO DIA 15

 

Segue release enviado pela banda:

O primeiro full lenght do PoisonGod, "Daemoncracy", já tem data para ser lançado.
"Daemoncracy" estabelecerá seu regime na data de 15 de novembro de 2007 . Nada mais adequado do que a data da proclamação da República do Brasil. E o mais interessante, de forma totalmente GRATUITA através de DOWNLOAD.
Numa iniciativa inovadora dentro do cenário underground, o PoisonGod disponibilizará "Daemoncracy " (ainda inédito) na íntegra em seu site oficial www.poisongod.com a partir da data divulgada. Além das músicas em si, estarão sendo disponiblizadas também todas as informações referentes ao álbum, incluindo toda a arte gráfica para você confeccionar seu próprio CD.
A preocupação maior do PoisonGod no momento, além do padrão de qualidade de seu trabalho, é fazer com que " Daemoncracy" chegue ao maior número de pessoas possíveis por todo o globo.
Portanto, baixem, ouçam e divulguem "Daemoncracy".
Ele foi feito pra vocês, fãs da música Pesada.

Poisongod.
www.poisongod.com
www.myspace.com/poisongod666

Escrito por ALYSSON - 09h19
[ ] [ envie esta mensagem]

EMORRÓIDAS

 

Escrito por ALYSSON - 09h07
[ ] [ envie esta mensagem]

ROLLING STONE ELEGE OS 100 MELHORES DISCOS DA MÚSICA BRASILEIRA

Na edição do mês passado, a revista Rolling Stone brasileira convidou 60 pessoas, entre estudiosos, produtores e jornalistas, para votarem em seus 20 discos de música brasileira prediletos, sem ordem de preferência. Desta votação saiu uma lista com 100 álbuns essenciais do cenário musical brasileiro.
Olhando a lista com atenção, percebemos que não há disco anterior a 1950, nem posterior a 2003. O período com mais obras na lista são os anos 70 (51 obras foram lançadas entre 1970 e 1979). Em seguida vem os anos 60, com 16 álbuns na lista, seguidos pelos anos 80, com 14 nomes. Anos 90, 50 e 2000 fecham a lista, com 11, 5 e 3 álbuns, respectivamente.
Os artistas com mais discos votados foram Caetano Veloso e Gilberto Gil, cada um com 7 discos na lista. Em seguida vêm Gal Costa, Tom Jobim e Jorge Ben, com 5 álbuns cada um. Em terceiro lugar estão Os Mutantes e Tim Maia, cada um emplacando 4 obras.

A lista completa, com os 100 discos, está logo abaixo.

1. Acabou Chorare - Novos Baianos (1972)
2. Tropicália ou Panis et Circensis - Vários (1968)
3. Construção - Chico Buarque (1971)
4. Chega de Saudade - João Gilberto (1959)
5. Secos e Molhados - Secos e Molhados (1973)
6. A Tábua de Esmeralda - Jorge Ben (1972)
7. Clube da Esquina - Milton Nascimento & Lô Borges (1972)
8. Cartola - Cartola (1976)
9. Os Mutantes - Os Mutantes (1968)
10. Transa - Caetano Veloso (1972)
11. Elis & Tom - Elis Regina e Antônio Carlos Jobim (1974)
12. Krig-Ha Bandolo - Raul Seixas (1973)
13. Da Lama ao Caos - Chico Science & Nação Zumbi (1994)
14. Sobrevivendo no Inferno - Racionais MC's (1998)
15. Samba Esquema Novo - Jorge Ben (1963)
16. Fruto Proibido - Rita Lee (1975)
17. Racional Volume 1 - Tim Maia (1975)
18. Afrociberdelia - Chico Science & Nação Zumbi (1996)
19. Cabeça Dinossauro - Titãs (1986)
20. Fa-Tal - Gal a Todo Vapor - Gal Costa (1971)
21. Dois - Legião Urbana (1986)
22. A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado - Os Mutantes (1970)
23. Coisas - Moacir Santos (1965)
24. Roberto Carlos em Ritmo de Aventura - Roberto Carlos (1967)
25. Tim Maia - Tim Maia (1970)
26. Expresso 2222 - Gilberto Gil (1972)
27. Nós vamos Invadir Sua Praia - Ultraje a Rigor (1985)
28. Roberto Carlos - Roberto Carlos (1971)
29. Os Afro-Sambas - Baden Powell, Quarteto em Cy e Vinícius de Moraes (1966)
30. A Dança da Solidão - Paulinho da Viola (1972)
31. Carlos, Erasmo - Erasmo Carlos (1970)
32. Pérola Negra - Luis Melodia (1973)
33. Caymmi e Seu Violão - Dorival Caymmi (1959)
34. Loki? - Arnaldo Baptista (1974)
35. Estudando o Samba - Tom Zé (1976)
36. Falso Brilhante - Elis Regina (1976)
37. Caetano Veloso - Caetano Veloso (1968)
38. Maria Fumaça - Banda Black Rio (1977)
39. Selvagem? - Os Paralamas do Sucesso (1986)
40. Legião Urbana - Legião Urbana (1985)
41. Meus Caros Amigos - Chico Buarque (1976)
42. O Bloco do Eu Sozinho - Los Hermanos (2001)
43. Refazenda - Gilberto Gil (1975)
44. Mutantes - Os Mutante (1969)
45. Raimundos - Raimundos (1994)
46. Chaos A.D. - Sepultura (1993)
47. João Gilberto - João Gilberto (1973)
48. As Aventuras da Blitz - Blitz (1982)
49. Racional Volume 2 - Tim Maia (1976)
50. Revolver - Walter Franco (1975)
51. Clara Crocodilo - Arrigo Barnabé (1980)
52. Cartola - Cartola (1974)
53. O Novo Aeon - Raul Seixas (1975)
54. Refavela - Gilberto Gil (1977)
55. Nervos de Aço - Paulinho da Viola (1973)
56. Amoroso - João Gilberto (1977)
57. Roots - Sepultura (1996)
58. Antônio Carlos Jobim - Tom Jobim (1963)
59. Canção do Amor Demais - Elizeth Cardoso (1958)
60. Gil e Jorge Ogum Xangô - Gilberto Gil e Jorge Ben (1975)
61. Força Bruta - Jorge Ben (1970)
62. MM - Marisa Monte (1989)
63. Milagre dos Peixes - Milton Nascimento (1973)
64. Show Opinião - Nara Leão, Zé Kéti e João do Vale (1965)
65. Nelson Cavaquinho - Nelson Cavaquinho (1973)
66. Cinema Transcendental - Caetano Veloso (1979)
67. África Brasil - Jorge Ben (1976)
68. Ventura - Los Hermanos (2003)
69. Samba Esquema Noise - Mundo Livre S/A (1994)
70. Getz/Gilberto Featuring Antônio Carlos Jobim - Stan Getz, João Gilberto e Antônio Carlos Jobim (1963)
71. Noel Rosa e Aracy de Almeida - Aracy de Almeida (1950)
72. Jardim Elétrico - Os Mutantes (1971)
73. Angela Ro Ro - Angela Ro Ro (1979)
74. Õ Blésq Blom - Titãs (1989)
75. Tim Maia - Tim Maia (1971)
76. A Bad Donato - João Donato (1970)
77. Canções Praieiras - Dorival Caymmi (1954)
78. Gilberto Gil - Gilberto Gil (1968)
79. Álibi - Maria Bethânia (1978)
80. Gal Costa - Gal Costa (1969)
81. Psicoacústica - Ira! (1988)
82. O Inimitável - Roberto Carlos (1968)
83. Matita Perê - Tom Jobim (1973)
84. Qualquer Coisa/Jóia - Caetano Veloso (1975)
85. Jovem Guarda - Roberto Carlos (1965)
86. Beleléu, Leléu, Eu - Itamar Assumpção e Banda Isca de Polícia (1980)
87. Verde Anil Amarelo Cor de Rosa e Carvão - Marisa Monte (1994)
88. Nada Como Um Dia Após O Outro Dia - Racionais MC's (2002)
89. Carnaval na Obra - Mundo Livre S/A (1998)
90. Quem é Quem - João Donato (1973)
91. Cantar - Gal Costa (1974)
92. Wave - Tom Jobim (1967)
93. Lado B, Lado A - O Rappa (1999)
94. Vivendo e Não Aprendendo - Ira! (1986)
95. Boces Bárbaros - Gil, Bethânia, Caetano e Gal (1976)
96. A Sétima Efervescência - Júpiter Maçã (1996)
97. Araçá Azul - Caetano Veloso (1972)
98. Elis - Elis Regina (1972)
99. Revolução por Minuto - RPM (1985)
100. Circense - Egberto Gismonti (1980)

Post sugerido por: Tchitcho

Escrito por ALYSSON - 08h58
[ ] [ envie esta mensagem]

RUMO À RIBEIRÃO

Os caras ae da foto são da banda Ästerdon, do ABC Paulista. Essa imagem foi feita antes deles saírem rumo à Franca pra tocar na festa do Stúdio 11, em setembro. É uma espécie de ritual. Se os caras não fizerem este pacto, o show não róla. Agora teremos a oportunidade de conferir essa insanidade ao vivo pela segunda vez. Ribeirão Preto que se cuide!

Novos posts, na segunda (12/11).

Até lá!

Escrito por ALYSSON - 10h47
[ ] [ envie esta mensagem]

COFFIN JOE

Filme inédito de Zé Caixão será exibido em São Paulo

Filmada em película Super 8 em 1980, obra agora restaurada e finalizada, ficou perdida até 2001

Começa hoje em São Paulo uma mostra de filmes que homenageia o cineasta José Mojica Marins, mais conhecido pelo seu personagem Zé do Caixão. Com abertura no Centro Cultural Banco do Brasil e exibições na Cinemateca, a mostra terá mais de 40 filmes (25 destes serão exibidos em cópia película restaurada), fruto do trabalho da Heco Produções em parceria com a Cinemateca e a Labo Cine.
O filme A Praga é a cereja do bolo desta mostra que traz à tona um verdadeiro acervo arqueológico da obra do mestre do terror brasileiro. O longa inédito será exibido nesta sexta-feira na cinemateca, mas tem sessão para o público sábado, às 19 horas, no CCBB; e volta à Cinemateca no dia 17, à meia-noite.
A Praga é mais um dos casos fantásticos que permeiam a vida de Mojica. Filmado em película Super 8 em 1980, ficou perdido até 2001, quando o cineasta e curador da mostra Eugênio Puppo, da Heco, que então organizava a Mostra Cinema Marginal, descobriu que a obra ainda existia.
"Mojica me mostrou o que restava do filme, que nunca tinha sido finalizado. E encontramos uns pedaços em sacos de lixo. Ele tinha filmado sem som direto. Estava tudo incompleto, faltando negativos", conta Puppo, que decidiu arregaçar as mangas e, num trabalho de arqueologia do cinema, buscar os negativos, filmar cenas que faltavam e recuperar os diálogos, já que o roteiro 'no papel' tão pouco existia. "Chamamos uma deficiente auditiva para fazer a leitura labial do filme. Depois, atores dublaram as vozes dos protagonistas", conta Puppo.
O trabalho de Puppo e equipe é de ourives. Além de restaurar, filmaram em Super 8 cenas complementares ao original, cuidaram da telecinagem, mixagem de som, entre tantas outras benfeitorias para, finalmente, contar a história de um casal que tira distraidamente fotos do jardim da casa de uma velha senhora sem saber que ela é, na verdade, uma bruxa. Como em toda boa trama de Zé do Caixão, a bruxa roga uma praga sobre Juvenal, que nunca mais consegue dormir em paz e adquire uma estranha doença. Um verdadeiro Frankenstein cinematográfico. A cópia exibida na mostra ainda não é a final. O filme será passado para a cópia em película e deve estrear em 2008.

Post sugerido por: Neto

Fonte: Estadão / Escrito por: Flávia Guerra

Escrito por ALYSSON - 10h36
[ ] [ envie esta mensagem]

NOVO DVD DO IRON SAIRÁ EM FEVEREIRO

O Iron Maiden anunciou a data de lançamento de seu novo DVD, Life After Death, que conta a segunda parte da história da banda (a primeira é narrada no DVD The early days). O disco duplo chega às lojas no dia 5 de fevereiro. Na mesma data, a banda se apresenta na Austrália, dando continuidade à Somewhere Back in Time World Tour, que passa pelo Brasil em março.
O primeiro disco traz todo o material lançado originalmente em 1985 em VHS, com os melhores momentos das quatro noites consecutivas nas quais o Iron Maiden lotou a Long Beach Arena, Califórnia, em 1984. O DVD vem com opção de som estéreo original da época, gravado e trabalhado por Martin Birch, produtor de todos os álbuns do Maiden entre os anos de 1981 e 1993 - quando se aposentou - e uma nova mixagem em 5.1 Surround Sound por Kevin Shirley, atual produtor da Donzela. O setlist do disco 1 é o seguinte:

- "Churchill's Speech/Aces High"
- "2 Minutes to Midnight"
- "The Trooper"
- "Revelations"
- "Flight of Icarus"
- "Rime of the Ancient Mariner"
- "Powerslave"
- "Number of the Beast"
- "Hallowed be Thy Name"
- "Iron Maiden"
- "Run to the Hills"
- "Running Free"
- "Sanctuary”

Já o segundo disco contém o show no Rock in Rio de 1985 (no qual o Maiden abriu pro Queen e tocou para quase 300 mil pessoas), um documentário sobre o período de composição e gravação do álbum Powerslave e a turnê que se seguiu (o que inclui as gravações originais do vídeo Live after death).
Behind the iron curtain é outro documentário dentro do disco 2 que foca a primeira turnê do Iron Maiden ao Leste Europeu, ainda na época da Guerra Fria. Outra atração é Ello Texas, uma entrevista gravada em 1983, onde são mostrados trechos da apresentação do Iron Maiden naquele ano em San Antonio, Texas.
Nem precisa dizer que todo esse material extra tem legendas em português. O disco traz ainda a indefectível galeria de fotos, curiosidades, e os clipes promocionais para "Aces High" e "2 Minutes to Midnight".

Fonte: Omelete / Escrito por: Rodrigo Monteiro

Escrito por ALYSSON - 10h27
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

PRA FECHAR O ANO

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h30
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

EM FRANCA

Terceira edição do festival insano que insiste em divulgar as bandas alternativas da região. Depois do sucesso do primeiro, a destruição do segundo, ninguem ficou contente. O negócio é continuar a suportar o underground e proporcionar algumas horas de som independente e criativo para as cabeças pensantes que preferem prestigiar o novo e insandecido som nacional.
KICK OUT THE JAMS, MOTHERFUCKERS!

Apresentação: Fabim (Beerock)

Exposição de Fotos: Belissa
http://www.photografos.com.br/belisa

Nessa edição:
Flag Pops - Musica de Faroeste (Franca)
www.myspace.com/flagpops

UdJC - Rock'n'roll (Guaxupé)
www.myspace.com/udjc

Lab - Indie Rock (São Paulo)
www.myspace.com/labmusica

Alma Mater - Rock Experimental (Rib. Preto)
www.myspace.com/almamaterband

Eletrodo - Indie Rock (Franca)
www.myspace.com/eletrodo

Dicotecagem : AZ (Studio Eleven)

Dia 24/11/07
Local: Arpoador Bar Cultural, Avenida Champagnat
Horario:A partir das 21h
Preço: 5 reais

Entre as 21h e 22h o preço do ingresso sera 3 reais.Chegue cedo, essa economia ja da pra ceva!

Pontos de venda: Arpoador Bar Cultural ou com qualquer membro das bandas.

http://www.lastfm.com.br/event/408276

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h26
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

FIM DE SEMANA FUZZ

Festival reúne 33 bandas independentes em Ribeirão Preto

Groselha Fuzz Festival 2007 será nos dias 10 e 11 de novembro e contará com Montage, Vanguart, Daniel Belleza e os Corações em Fúria, Ludovic, Dominatrix, Zefirina Bomba, Ecos Falsos e muito mais

Por Angelo Davanço

Os principais nomes do rock independente feito no Brasil poderão ser conferidos nos próximos dias 10 e 11 de novembro, quando será realizado o Groselha Fuzz Festival 2007, em Ribeirão Preto, no interior paulista (330km de São Paulo). Além dos shows, o evento terá discotecagem, exposições como o "Arquivo do Rock Brasileiro", grafite, exibições de vídeos, encenações teatrais e debate entre o público, produtores e músicos. O mestre de cerimônias do festival será o ex-VJ da MTV Luiz Thunderbird.

ATRAÇÕES

Serão dois palcos para receber 33 bandas da região e de diversas partes do país. No sábado (dia 10), o festival começa às 17h e terá, entre as principais atrações, Ecos Falsos (São Paulo), Vanguart (Cuiabá), Daniel Belleza e os Corações em Fúria (São Paulo) e Montage (Fortaleza).
No domingo (dia 11), a partir das 15h, será a vez de Zefirina Bomba (João Pessoa), Thunderbird e os Devotos de NSA (São Paulo), Dominatrix (São Paulo) e Ludovic (São Paulo). Veja abaixo a programação completa do Groselha Fuzz Festival 2007.
Após os shows, o festival continua na pista, com a participação de DJs convidados como Humberto Finatti (São Paulo), Flávio Silva (Maringá), Marcelo Costa (São Paulo) e Marky Wildstone (São Carlos).

GROSELHA FUZZ

O festival comemora os três anos de atividades do projeto Groselha Fuzz, uma festa dedicada à música alternativa que já abriu espaço para mais de 40 atrações, entre bandas e DJs, em Ribeirão Preto e, mais recentemente, em Araraquara. Já se apresentaram no evento organizado por Tiago Fuzz nomes como Joe Lally (do Fugazi, EUA), Supercordas (Rio de Janeiro), Rock Rocket (São Paulo), Monokini (São Paulo), Corazones Muertos (Argentina), Autoramas (Rio de Janeiro), Pullovers (São Paulo) e Moptop (Rio de Janeiro), além de DJs convidados como Lucio Ribeiro (São Paulo), Studio 11 DJs (Franca), Alessandro Psycho (São Paulo) e Andy Cumming (Londres).

GROSELHA FUZZ FESTIVAL 2007 - Programação completa

10 DE NOVEMBRO (Sábado)

02h00 MONTAGE (Fortaleza/CE)
01h00 DANIEL BELLEZA E OS CORAÇÕES EM FÚRIA (São Paulo)
00h00 VANGUART (Cuiabá/MT)
23h30 ECOS FALSOS (São Paulo)
23h00 MAMA CADELLA (São Paulo)
22h30 OS TELEPATAS (São Paulo)
22h00 SEYCHELLES (São Paulo)
21h30 ENNE (Belo Horizonte MG)
21h00 VOLPINA + RENATO BIZAR ex-Wry (Sorocaba)
20h30 ACIDOGROOVE (Uberaba/MG)
20h00 MOTORMAMA (Rib. Preto)
19h30 ALMA MATER (Rib. Preto)
19h00 GRAY STRAWBERRIES (Indaiatuba)
18h30 VISITANTES (São Paulo)
18h00 PLANO PRÓXIMO (São Carlos)
17h30 OS COYOTES (Serrana)
17h00 FLAG POPS (Franca)

11 DE NOVEMBRO (Domingo)

23h00 LUDOVIC (São Paulo)
22h00 DOMINATRIX (São Paulo)
21h30 THUNDERBIRD E OS DEVOTOS DE NSA (São Paulo)
21h00 ZEFIRINA BOMBA (João Pessoa/PB)
20h30 THE DEAD ROCKS (São Carlos)
20h00 ROCKZ (Rio de Janeiro/RJ)
19h30 ELEGIA (São José dos Campos)
19h00 DEBATE (São Paulo)
18h30 BENFLOS (Rio de Janeiro/RJ)
18h00 ÄSTERDON (São Paulo)
17h30 INTERSTELLAR (Rib. Preto)
17h00 PALE SUNDAY (Rib. Preto)
16h30 ÍBIS (Serrana)
16h00 VERBO PERFEITO (Rib. Preto)
15h30 KIDZILDA (São Simão)
15h00 BERRODUBIO (Rib. Preto)

SERVIÇO
Groselha Fuzz Festival 2007
Quando: 10 e 11 de novembro (sábado a partir das 17h / domingo a partir das 15h)
Local: Chácara do Dudu
End.: Rodovia Anhangüera, Km 303 - Ribeirão Preto (SP)
Ingressos: um dia – R$ 15,00 (feminino) e R$ 20,00 (masculino) / dois dias – R$ 25,00 (único)
Pontos de venda: Unilan (Rua São José, 834 - (16) 3931-3215 ) / Tribos (Loja 1 – Rua Cerqueira César, 557 - (16) 3023-0456 / Loja 2 – Centro Popular de Compras, loja A21 - Rua Florêncio de Abreu, esquina com Av. Jerônimo Gonçalves - (16) 3024-7535)
Mais informações: www.groselhafuzz.com.br

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 09h19
[ ] [ envie esta mensagem]

MOLDE

Música nova da Zefirina Bomba. Domingão, vamos conferir ao vivo.

Escrito por ALYSSON - 09h15
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

SAINDO DO FORNO

Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band - um ano na vida dos Beatles e amigos
Autor: Clinton Heylin
Editora Conrad / 256 páginas

Sgt Pepper´s Lonely Hearts Club Band foi o disco mais importante dos Beatles, o grupo de rock mais importante do século XX. Lançado em 1967, o álbum revolucionou a música pop, trazendo inúmeras inovações e experimentos, sem deixar de lado as melodias acessíveis que levaram os Beatles ao topo das paradas. Um dos discos mais vendidos de todos os tempos, Sgt Pepper´s é um documento histórico das mudanças sociais, políticas e estéticas dos anos 60.
Em Sgt Pepper´s Lonely Hearts Club Band - um ano na vida dos Beatles e amigos, Clinton Heilyn vasculha a história para tentar explicar o que fez de Sgt Pepper´s um marco cultural tão aclamado. Heylin revela o cotidiano dos Beatles e outros artistas que, de uma forma ou de outra, influenciaram os rapazes de Liverpool naquele momento - gente como Bob Dylan, The Beach Boys, Pink Floyd e The Byrds.
Com uma prosa clara e uma série de informações históricas, Heylin vai mostrando como, compacto a compacto, show a show, a música pop dos Beatles foi mudando em direção a um rótulo definitivo que virou padrão nas décadas seguintes: o rock.
Da Costa Oeste americana com o jingle-jangle dos Byrds e as harmonias dos Beach Boys à música underground dos novaiorquinos do Velvet Underground, passando pelos roqueiros da Swingin´ London (Who, The Move, Cream, Hendrix e Pink Floyd), Sgt Pepper´s, evoca a cultura pop dos anos 60 para mostrar o impacto e a importância histórica do álbum dos Beatles. Sessões de gravação, shows históricos, depoimentos exclusivos e uma extensa pesquisa, Heylin construiu o mais fiel e honesto relato do momento em que os Beatles transformaram a cultura mundial para sempre.

Fonte: www.conradeditora.com.br

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 14h51
[ ] [ envie esta mensagem]

POLÍCIA USA NOME DE OZZY PRA PRENDER BANDIDOS

O cantor inglês Ozzy Osbourne (foto) disse ter se sentido insultado pela polícia dos Estados Unidos, que usou seu nome em uma operação para prender pessoas procuradas pela Justiça.
Sem pedir autorização à estrela do programa de TV The Osbournes, a polícia fingiu estar organizando uma festa na cidade de Fargo, no Estado de Dakota do Norte, em que o cantor seria um dos convidados.
As autoridades enviaram convites para 500 procurados pela Justiça. Mais de 30 deles caíram na armadilha e compareceram à “festa”, quando foram presos.
O vocalista da banda Black Sabbath iria fazer um show em um ginásio local – e essa foi a explicação dada pela polícia para justificar a presença dele na festa.
O delegado do condado onde tudo aconteceu, Paul Laney, disse que não teve a intenção “de desrespeitar o senhor Osbourne ou seu show”.
“O que fizemos foi uma colocar em prática uma técnica muito criativa de fiscalização da lei, atraindo indivíduos que tinham mandados de prisão, para que viessem até nós”, disse.
Mas Osbourne não poupou críticas à "criatividade" policial.
“Em vez de convocar uma coletiva para ficar se vangloriando, o delegado Laney deveria estar pedindo desculpas a mim por associar meu nome a essas prisões”, disse.
“É um insulto para mim e para meus fãs e mostra como esse delegado em particular é preguiçoso em seu trabalho.”

Post sugerido por: Neto

Escrito por ALYSSON - 14h48
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

SET LIST - CIDADE ROCK - 04/11/2007

1º BLOCO

01 - AC/DC - Shot of Love
02 - Motorhead - Shoot' Em Down (Twisted Sister Cover)
03 - Ramones - Poison Heart
04 - Eu Serei a Hiena - Asterix (Momento Beerock)
05 - The (International) Noise Conspiracy - I Wanna know About U
06 - At The Drive In - Rolodex Propaganda

2º BLOCO

07 - Nação Zumbi - Fome de Tudo
08 - Pavilhão 9 - Todos Querem O Controle
09 - Planet Hemp - Adoled (The Ocean/Ao Vivo)
10 - Sheik Tosado - Zum, Zum, Zum Pancada
11 - Virna Lisi - Esperar o que?

3º BLOCO

12 - Judas Priest - Metal Gods
13 - Iron Maiden - Purgatory
14 - Helloween - Kill it
15 - King Diamond - Never Ending Hill (Pála Version)
16 - Pantera - Heresy

Mais infos sobre o Eu Serei a Hiena: www.myspace.com/ahiena

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade:

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 14h28
[ ] [ envie esta mensagem]

RETORNO ADIADO

Fãs terão que aguardar mais um pouco pela volta do Led Zeppelin

O tão aguardado retorno do grupo britânico Led Zeppelin foi adiado por duas semanas porque o guitarrista Jimmy Page quebrou um dedo, segundo os promotores do evento.
De acordo com o portal G1, a lesão aconteceu no último fim de semana e o músico ficará no estaleiro por três semanas. "Nós sentimos que esse adiamento fará com que eu me recupere apropriadamente e nos permita tocar no nível que nós e os fãs sempre estivemos acostumados", disse Page.
O show acontecerá em 10 de dezembro e todos os ingressos adquiridos para a data anterior (26 de novembro) terão validade, segundo a organização do evento.

Post sugerido por: Fabinho

Escrito por ALYSSON - 14h25
[ ] [ envie esta mensagem]

$ BOX $

Fãs brasileiros do Pink Floyd já têm onde investir o 13º salário

O retorno do Pink Floyd parece distante, mas os fãs poderão se deliciar com o próximo lançamento envolvendo o nome do grupo. Trata-se de uma caixa contendo todo material de estúdio registrado pela banda.
Oh By The Way é o nome do box e deve ser lançado no dia 4 de dezembro. De acordo com o site Rockwave, a tiragem será limitada em 10 mil exemplares e provavelmente só poderá ser comprada no Brasil por intermédio de importação. Esta informação faz com que os fãs brasileiros se preparem para os gastos de final de ano.
O primeiro disco do Pink Floyd se chama The Piper At The Gates Of Dawn e foi lançado em 1967. O disco, de inéditas, mais recente é o The Division Bell, de 1994. Em 2005, a banda fez uma meteórica reunião para se apresentar no evento Live 8 e desde então, os integrantes negam qualquer possibilidade de retornarem às atividades.

Post sugerido por: Fabinho

Escrito por ALYSSON - 14h23
[ ] [ envie esta mensagem]

--------------------------------------------------

EM CAMPINAS

Local: Hammer Rock Bar

Entrada: R$50,00 (inteira) / R$25,00 (estudante ou antecipado)

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 11h07
[ ] [ envie esta mensagem]

MAIS UM MUTARELLI NAS TELONAS

"O mágico é a única criatura na face da terra que tem o direito de desaparecer. Diomedes, um detetive fracassado, que nunca resolvera um único caso, mergulha de cabeça no mundo bizarro do Grande Circo, um famoso circo no passado, hoje apenas um lugar fantasmagórico, mais parecido com um hospício burlesco, para encontrar Enigmo, o mágico que transformava água em vinho, a pedido do pessonhento Hermes. Nem sempre um detetive encontra exatamente o que procura.”

Tae o poster teaser e o texto de apresentação do filme O Dobro de Cinco. O longa é uma adaptação da HQ homônima do quadrinista e escritor brasileiro Lourenço Mutarelli, autor do clássico  O Cheiro do Ralo. O filme que tem estréia prevista para 2009 está sendo desenvolvido pela produtora Ipanema, com direção de Dennison Ramalho e apoio de outro quadrinista, Rafael Grampá.
O Dobro do Cinco é a primeira aventura do Detetive Diomedes, personagem de quatro álbuns de Mutarelli lançados pela editora Devir. Na HQ, ele é contratado por um pai que quer dar ao filho a mesma experiência que teve em seu aniversário de 6 anos: um show com o mágico Enigmo. Diomedes tem a tarefa de encontrar o mágico desaparecido.
Cacá Carvalho - o Jamanta das novelas Torre de Babel e Belíssima - fará o papel de Diomedes. Grampá é desenhista de produção, responsável por cenários virtuais que respeitarão a arte original de Mutarelli. O diretor Dennison Ramalho é co-autor do roteiro do último filme de Zé do Caixão e ganhou notoriedade quando o seu curta de horror Amor só de Mãe fez a ronda dos festivais de cinema.

Escrito por ALYSSON - 09h57
[ ] [ envie esta mensagem]

COVERS INUSITADOS

Metallica toca até Dire Straits em show com covers raras

O Metallica surpreendeu no primeiro dos dois shows que fez neste final de semana em prol da Bridge School, escola que trata de crianças com desordens de comunicação, localizada em São Francisco.
No evento beneficente organizado por Neil Young anualmente, o Metallica tocou oito músicas, quatro delas covers bem interessantes, como a de "Only Happy When It Rains", do Garbage, e "Brothers in Arms", do Dire Straits. A banda abriu o show com um clássico da Motown, "I Just Want to Celebrate", do Rare Earth, e ainda tocou "Please Don't Judas Me", do Nazareth.
A outra metade da apresentação foi composta por músicas do próprio grupo, com exceção para "Turn the Page", também uma versão, de Bob Seger, mas já conhecida dos fãs do Metallica, já que foi lançada no álbum Garage Inc. As outras faixas foram "Disposable Heroes", "All Within My Hands" e "Nothing Else Matters".
Veja imagens feitas por fãs. Os shows do Metallica no 21º Bridge School Benefit serão vendidos virtualmente no site www.livemetallica.com. Segundo comunicado da banda, toda a renda arrecadada com a venda do registro das apresentações será revertida para a Bridge School.

Fonte: Omelete / Texto escrito por: Luciana Maria Sanches

Escrito por ALYSSON - 09h52
[ ] [ envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]

© Todos os direitos reservados.