BEEROCK

-------------------------------------------------

A COLMÉIA RECOMENDA

"MELOPÉIA” - Sonetos Musicados (2001)

Rotten Records

Bandas e cantores/compositores dos mais variados estilos (do punk ao samba, passando pelo rockabilly, blues, jazz, funk, folk e techno) musicaram e interpretam alguns sonetos do poeta maldito Glauco Mattoso. As bandas são Inocentes, 365, Devotos, Elefunk, Billy Brothers e Laranja Mecânica. Os cantores são Tato Ficher, Arnaldo Antunes (dos Titãs), Humberto Gessinger (dos Engenheiros do Hawaii), Edvaldo Santana, Luiz Roberto Guedes, Wander Wildner (dos Replicantes), Ayrton Mugnaini (do Língua de Trapo), Falcão, Alexandre Nero (do Fato), Madan, Itamar Assumpção e Claudia Wonder, além das participações de Eriberto Leão, Renata Mattar, Edson Cordeiro e DJ Krâneo. Um álbum conceitual com 23 faixas. Capa do quadrinhista Lourenço Mutarelli.

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 14h12
[ ] [ envie esta mensagem]

GILMOUR DIZ NÃO AO FLOYD

 

da Folha Online

O guitarrista David Gilmour rejeitou proposta milionária para se apresentar novamente com sua ex-banda, o Pink Floyd. Segundo o jornal "Daily Express", o cachê seria aproximadamente de 125 milhões de libras (cerca de R$ 466 milhões).
Para a publicação, Gilmour disse que poderia tocar apenas em um concerto, porém jamais seguiria em uma turnê completa.
"Quando era pobre, seria estranho rejeitar uma proposta assim tão facilmente. Falam que todo homem tem seu preço, porém, qualquer valor que me foi proposto não é o meu", disse.
Em 2005, a banda se reuniu para uma apresentação durante o festival Live 8. Na época se especulou sobre a volta do Pink Floyd, porém Gilmour rejeitou a hipótese, em janeiro de 2006, de voltar a trabalhar com Roger Waters e Nick Mason.
O Pink Floyd era composto por Roger Waters, Dave Gilmour, Nick Mason e Rick Wright. O músico Syd Barrett, também integrante da formação original, perdeu a sanidade gradualmente no fim dos anos 60, e deixou o grupo. Barrett morreu em julho de 2006, aos 60 anos.

Escrito por ALYSSON - 14h08
[ ] [ envie esta mensagem]

EM FRANCA

Escrito por ALYSSON - 11h10
[ ] [ envie esta mensagem]

DEATH MOSH

Fã morre em show do Smashing Pumpkins após "mosh"

Um homem morreu durante apresentação da banda Smashing Pumpkins, em Vancouver, no Canadá, informou o site da publicação britânica "New Musical Express". Segundo a polícia, o fato ocorreu na área de "mosh", onde as pessoas dançam com violência, se jogam em cima das outras e são carregadas pela multidão.
Segundo a polícia, o homem foi removido inconsciente do show. Ele foi declarado morto pelo hospital, para onde foi transferido depois de receber os primeiros socorros.
As autoridades ainda explicaram que não suspeitam de que alguém seja culpado. A imprensa canadense noticiou que o corpo do homem não apresentava ferimentos aparentes.
"É um fim muito triste para uma noite que provavelmente seria de grande divertimento para o jovem", comentou uma porta-voz do evento.

Neto - Fonte: Reuters

Escrito por ALYSSON - 11h08
[ ] [ envie esta mensagem]

ENTREVISTA: DAVE MURRAY

Segue trecho da entrevista que o portal Ultimate Guitar realizou com o guitarrista do Iron Maiden, Dave Murray:

A próxima turnê mundial será focada principalmente na fase ‘anos 80’ da banda, para a escolha do setlist e da produção de palco?
Dave: "É isso mesmo. A temática da turnê se baseará naquele ‘clima’ egípcio, algo similar à produção da turnê do 'Powerslave'. Estamos fazendo uma grande produção e também iremos focar mais nas músicas de meados dos anos 80. Apesar de ser um repertório longo e de, basicamente, termos em mente tudo o que estaremos fazendo, isso será meio que um aprendizado sob vários aspectos, pois tem algumas músicas que já não tocamos há uns vinte anos. Nós teremos que voltar no tempo e reaprendê-las, pois talvez já tenhamos nos esquecido de como elas são (risos). Estamos muito excitados com isso, pois algumas dessas canções são realmente muito fortes e será ótimo e interessante dar uma vida nova a elas, especialmente porque Janick (Gers, guitarrista) não estava presente naquele momento e não tocou muitas daquelas músicas. Então, será ótimo termos os três guitarristas tocando dentro da estrutura daquelas canções mais antigas. Isso deverá ser realmente muito bom e mal vemos a hora de trabalhar nelas".
Tendo três guitarristas na banda, cada qual buscando seu espaço próprio, em algum momento pode surgir uma competição entre um e outro?
Dave: "Não, a coisa não funciona assim, pois nós todos nos sentimos muito confortáveis estando um ao lado do outro, e não vemos a coisa como sendo uma competição. Música não deve ser uma competição. Apenas tentamos nos complementar um ao outro, então isso não é uma batalha sobre quem estará fazendo o quê. Nós todos nos sentimos confortáveis o suficiente uns com os outros, e podemos então tocar como nos sentimos e apenas nos divertir com o que os outros caras estão fazendo. Nós queremos fazer música porque nos divertimos fazendo isso. Não é como ser um jogador de futebol, de futebol americano, de Rugby ou algo em que você está contra um outro time e quer ir lá enfrentá-lo. Isso é uma banda e a coisa funciona de maneira diferente".
O IRON MAIDEN sempre foi um alvo fácil particularmente nos Estados Unidos, com os integrantes da banda sendo rotulados no passado como ‘satanistas’.
Dave: "Nós definitivamente não somos adoradores do diabo. Eu penso que isso tudo começou devido ao 'The Number Of The Beast'. Quando ele saiu, muitas pessoas que não gostavam desse tipo de coisa começaram a atacar o álbum em particular. Mas nós basicamente ignoramos tudo isso".
Existem algumas pessoas que, desafortunadamente, sempre tenderão a confundir a fantasia com a realidade?
Dave: "Sim, é isso. Com o IRON MAIDEN, com a música, as letras e melodias, isso tudo é na verdade uma forma de escapismo. Basicamente, é isso o que as músicas são, você as escuta e é como se fosse levado a algum lugar. Se você assiste a um filme ou lê um livro, é meio como imagens que você forma sobre aquilo. E isso é algo que poderá fazer você se sentir bem, se você entende o que eu quero dizer".

Fabin - Fonte: Whiplash

Escrito por ALYSSON - 11h05
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

EM BH

Para comemorar suas primeiras décadas de existência, o programa Alto-falante e o Bar A Obra apresentam o FESTIVAL GARIMPO, que pretende recolocar a cidade no mapa da cena independente brasileira, promovendo o intercâmbio de artistas locais com outros nacionais e proporcionando ao público da capital a oportunidade de fazer parte desta história.
A primeira edição do FESTIVAL GARIMPO ocorre entre os dias 27 e 29 de setembro, em Belo Horizonte, com a participação de 19 artistas, em sua maioria oriundos da cena local.

A programação da primeira edição do FESTIVAL GARIMPO é a seguinte:

Quinta-feira, dia 27/09/2007
Horário: 21 horas
Local: Teatro Dom Silvério (Av. Nossa Senhora do Carmo, 230 - Savassi - Belo Horizonte - MG - Fone: 31.2191-5700)
WANDER WILDNER (RS) E SÉRGIO SERRA (SP)
Ingressos: R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia) à venda no local

Quinta-feira, dia 27/09/2007
Horário: 23h30 horas
Local: A Obra (Rua Rio Grande do Norte, 1168 - Savassi - BHZ/MG - Tels.: 31.3215-8077 / 3261-9431)
Ingressos: R$ 10,00
23h30 - DEAD LOVER´S TWISTED HEART (MG)
00h30 - CAROLINA DIZ (MG)
01h30 - PORCAS BORBOLETAS (MG)

Sexta-feira, dia 28/09/2007
Horário: 23 horas
Local: A Obra (Rua Rio Grande do Norte, 1168 - Savassi - BHZ/MG - Tels.: 31.3215-8077 / 3261-9431)
Ingressos: R$ 10,00
23h - JULGAMENTO (MG)
00h - ROGER MOORE (MG)
01h - PARALAXE (MG)
02h - LUCY AND THE POPSONICS (DF)

Sábado, dia 29/09/2007
Horário: 20 horas
Local: Lapa Multshow (Rua Álvares Maciel, 312 - Santa Efigênia - Belo Horizonte - MG)
Ingressos: R$ 12,00 (antecipado) e R$ 15,00 (no dia)
À venda na 53HC (Rua Rio de Janeiro, 630, Loja 53, Galeria Praça 7 – Centro) e no Lapa Multshow.

PALCO 10 ANOS
20h - TERMINAL GUADALUPE (PR)
21h – VALV (MG)
22h - ESTRUME´N´TAL (MG)
23h – MACACO BONG (MT)
00h - MONNO (MG)
01h - VANGUART (MT)
02h - MONTAGE (CE)

PALCO SOL
21h30 - LEANDRO FERRARI (MG)
22h30 - ESQUADRÃO ATARI (MG)
23h30 - UDR (MG)
00h30 - PROA (MG)

O FESTIVAL GARIMPO tem patrocínio da cerveja Sol e apoios da Trama Virtual, Clan Hotéis, Obar, Prodel, Blackboots e promoção da OiFM.

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h01
[ ] [ envie esta mensagem]

REMASTERS RELOAD

Foi divulgada a capa de Mothership, coletânea dupla com as 24 músicas consideradas mais importantes da carreira do Led Zeppelin, que será lançada em 13 de novembro. Confira ao lado a arte de Shepard Fairey, famoso no meio publicitário.
As faixas foram escolhidas a dedo por Robert Plant (vocal), Jimmy Page (guitarra) e John Paul Jones (baixista). O baterista do Zeppelin, John Bonham, faleceu em 1980, fator determinante para o término da banda. A coletânea sairá também em edição de luxo e colecionador, com um DVD ao vivo e quatro LPs. No encarte, texto do jornalista da Rolling Stone, David Fricke.
E o período de inscrição para concorrer à possibilidade de comprar um ingresso para o show de retorno da banda britânica acabou. O Led Zeppelin fará um único show em 26 de novembro no 02 Arena de Londres, que tem capacidade para 22 mil pessoas, com Jason Bonham, filho de John Bonham, ocupando o lugar do pai na bateria.
Os ingressos para o show custam por volta de 250 dólares e só serão adquiridos por quem se registrou no site oficial do evento, algo em torno de um milhão de pessoas, segundo a organização. Se os ingressos forem vendidos aos pares, como é de se esperar, cada registrado tem uma chance em cem de ser sorteado. O sortudo vai receber um e-mail no dia 1º de outubro avisando que pode - finalmente - botar a mão nos ingressos.
Harvey Goldsmith, organizador do show, agradeceu a todos que estão concorrendo e implorou para que os ingressos não sejam vendidos a cambistas ou em sites de leilão.

Fonte: Omelete

Escrito por ALYSSON - 09h50
[ ] [ envie esta mensagem]

-------------------------------------------------

A COLMÉIA RECOMENDA

Soundgarden - Louder Than Love (1989)

A antiga banda do vocalista Chris Cornell em estado bruto, antes do sucesso alcançado com o álbum Badmotorfinger. Sem Louder Than Love, não existiria a maioria das bandas Stoner que surgiram em meados dos anos 90. Na época o som foi denominado pela crítica, como uma espécie de Black Sabbath em câmera lenta
Em 1997 a banda se desfez. Chris Cornell se juntou a Tom Morello, Tim Commerford e Brad Wilk [Rage Against the Machine], e formaram o Audioslave no ano de 2001, banda que acabou recentemente e que nunca chegou aos pés do grande Soundgarden. É claro que essa é minha opinião particular. Corram atrás, ouçam o disco e tirem suas próprias conclusões.

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 15h51
[ ] [ envie esta mensagem]

A BIOGRAFIA DE JOSEFEL ZANATAS

Josefel Zanatas nasceu em berço de ouro, seus pais tinham uma rede de agências funerárias, fato que fez com que Josefel fosse uma criança muito sozinha, pois seus colegas os discriminaram por causa da profissão de seus pais.
Na escola era um ótimo aluno e, como não tinha amigos, fez dos livros seus grandes companheiros. Foi na escola que conheceu Sara, uma menina muito bonita e de boa família. Logo se tornaram grandes amigos, não se separavam por nada. Cresceram juntos e com o passar do tempo a amizade se transformou em amor. Decidiram que iriam se casar e mudar para uma cidade maior onde teriam mais chances de crescer na vida. Sara queria se casar fora do país, então tanto os pais de Sara quanto de Josefel resolveram viajar antes para começarem os preparativos para cerimônia.
Durante o vôo, uma tragédia acontece: o avião com os pais de Sara e Josefel sofre um acidente e não há sobreviventes. Por causa do luto eles decidem adiar o casamento.
Em decorrência da II Guerra Mundial, em agosto de 1943, cria-se a Força Expedicionária Brasileira (FEB). Somente vinte e oito mil pessoas se alistaram, Josefel era um deles e em conversa com Sara decidem juntos que só casariam quando ele voltasse da guerra.
E assim, na noite de 30 de junho, Josefel parte para a Itália. Durante o tempo que ficou lá, Josefel sofreu muito, e as saudades de Sara foram aumentando depois que ele parou de receber cartas dela.
Depois que Josefel partiu para a Guerra, Sara continuou cuidando da funerária. Sempre escrevia para ele, mas depois de muitas cartas sem resposta, acabou concluindo que ele deveria estar morto. Como a vida não estava fácil, Sara aceitou o convite que havia recebido do prefeito e se casou com ele.
No dia 18 de julho de 1945, Josefel desembarca na estação de sua cidade e percebe que a cidade está vazia e sua casa fechada. Desesperado para encontrar Sara, decide perguntar a um bêbado onde estavam todos. O bêbado informa que a cidade inteira estava na casa do prefeito, pois havia uma festa para comemorar a volta dos "Pracinhas".
Chegando na festa ele encontra Sara sentada no colo do prefeito e, antes que ela pudesse se explicar, ele saca o revólver e mata os dois.
Josefel não é condenado pelo crime pois foi alegado que ele estava traumatizado pela guerra. Para ele não importava ser preso ou não, ele havia perdido Sara e com ela perderia também o sentimento chamado amor.
Josefel, que até então era um homem doce e bondoso, se torna uma pessoa amarga e sem sentimentos. Passa então a aterrorizar os moradores da cidade e logo recebe o apelido de Zé do Caixão.
Zé do Caixão é um homem sem crenças, não acredita em Deus nem no Diabo, só acredita nele mesmo, acha que é o único que pode fazer justiça.
Seu objetivo é encontrar uma mulher que compartilhe seus pensamentos e juntos tenham um filho, que possa dar continuidade à sua espécie, que ele acredita ser superior.
Para Zé do Caixão, as crianças são os únicos seres puros, sem maldade no coração. Em busca pela mulher superior, ele passa por cima de todos aqueles que atrapalharem seus planos, não tem dó nem piedade e mata se for preciso.
Zé ainda não encontrou a mulher ideal para lhe dar um filho, mas sua busca impiedosa não terminará enquanto viver.

A biografia de Josefel Zanatas (Zé do Caixão) é baseada em fatos fictícios. As datas e acontecimentos citados na biografia foram revelados por José Mojica Marins.

Fonte: www2.uol.com.br/zedocaixao

Escrito por ALYSSON - 15h02
[ ] [ envie esta mensagem]

SET LIST - CIDADE ROCK - 23/09/2007

1º BLOCO

01 - Jimi Hendrix - Catfish Blues
02 - Blind Faith - Sleeping in the Groud
03 - Stevie Ray Vaughan - Mary Had a Little Lamb (ao vivo)
04 - The White Stripes - Death Letter
05 - Black Keys - Thickfreakness
06 - Jon Spencer Blues Explosion - Sweat

2º BLOCO

07 - Tequila Baby - Sexo HC
08 - Astronautas - Não Faço Nada
09 - Dead Fish - Anarquia Corporation (ao vivo)
10 - Zona - Rendição (Momento Beerock)
11 - Rumbora - Ladeirão

3º BLOCO

12 - System of a Down - Boom
13 - Faith no More - Zombie Eaters
14 - Suicidal Tendencies - Suicide’s An Alternative
15 - Soulfly - Babylon
17 - Cannibal Corpse - Hammer Smashed Face

Mais infos sobre o Zona aqui: www.zonaonline.com.br

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade:

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 14h01
[ ] [ envie esta mensagem]

BARRETT.DOC

Um documentário sobre o ex-Pink Floyd Syd Barrett acaba de sair do forno.
Dirigido por John Edginton, finalizado em 2003, o DVD The Pink Floyd and Syd Barrett Story procura mostrar por meio de entrevistas o relacionamento entre o polêmico compositor e guitarrista e os outros membros da banda britânica.
Falecido em julho de 2006, Barrett juntou-se a Roger Waters e Nick Mason em 1965 e foi o responsável por várias composições de The Piper at The Gates of Dawn, álbum de estréia do Pink Floyd. Ele saiu da banda em 1968 por seu comportamento inconstante potencializado pelo uso excessivo de drogas, mas ainda lançou dois álbuns solo, The Madcap Laughs e Barrett.
Além de entrevistas com Waters e Mason, o DVD traz conversas com David Gilmour e Rick Wright, também componentes do Floyd. De acordo com o diretor, todos os membros da banda fazem declarações comoventes a respeito de Barrett e de sua importância, e inclusive explicam a influência da saída do músico nos trabalhos posteriores do Pink Floyd. Só para citar uma delas, vale lembrar que o álbum mais vendido da banda, Dark Side of the Moon, foi inspirado no comportamento anti-social de Barrett.
Ainda nas palavras de Edginton, o mais surpreendente foram a honestidade e a profundidade das entrevistas. O baterista Nick Mason, por exemplo, admite que o resto da banda não tratou Barrett como convinha quando ele começou a mostrar um comportamento bizarro. Segundo ele, o resto da banda não sabia se "tinha uma crise de riso ou se estrangulava o guitarrista".
O DVD não tem previsão para sair no Brasil.

Fonte: Omelete

Escrito por ALYSSON - 13h57
[ ] [ envie esta mensagem]

A COLMÉIA RECOMENDA

Aerosmith - Rocks (1976)

Em artigo para a Harp Magazine, o guitarrista Slash (VELVET REVOLVER, GUNS N´ ROSES e SNAKEPIT), perguntado sobre o disco que mudou sua vida, respondeu:
"Bem, foi o 'Rocks' do AEROSMITH, que ouvi pela primeira vez quando tinha 14 anos de idade. Andava de bicicletas BMX e uns caras mais velhos colocaram o disco prá rolar - muito foda. Mas ouvi muito pouco desta primeira vez. Na segunda vez foi tipo... havia uma garota que andava com um grupo de amigos, e ela era provavelmente a mais bonita da escola e da vizinhança, e havia rompido com o namorado. Tentei durante muito tempo me aproximar dela, até que finalmente concordou que eu fosse até sua casa.
Como planejava me aproximar o máximo que conseguisse de suas roupas íntimas, fui até seu quarto e ela tinha tapetes nas paredes, incenso e vasos, seu aparelho de som era típico de uma adolescente daquela época. Ela colocou uns discos para rolar; ouvimos LED ZEPPELIN, ouvimos YES e finalmente ela colocou aquele disco que reconheci a partir das primeiras notas.
Era o 'Rocks'. Devo ter ouvido este disco no quarto da garota - seu nome era Lori - uma dúzia de vezes, do início ao fim, repetidas vezes, e acabei ignorando a garota. Finalmente ela disse 'é hora de você partir', e eu respondi com algo como 'ok, nos vemos por aí'. Montei na bicicleta e fui embora, e a garota nunca mais falou comigo.
Mas aquele disco mexeu profundamente comigo - era como se ele personificasse tudo que eu queria ser, e eu nunca tinha ouvido aquilo numa música. Era cru, sujo, tinha ritmo, era meio chapante, totalmente fudido e ainda havia a espécie de angústia da voz de Steve Tyler. Era o perfeito disco de Hard Rock juvenil... representava algo como foi o Punk Rock para todos. Era o mais agressivo, sujo, guitarrístico, você sabe... não era um disco furioso, mas sim a trilha sonora para uma festa raivosa.
Fui cooptado. Pouco tempo depois comprei a guitarra e aqui estou eu".

Bom, depois deste depoimento não há mais nada a ser dito. Hardão 70tista da melhor qualidade. Corre atrás que vale a pena.

Fonte: Whiplash

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 13h55
[ ] [ envie esta mensagem]

A COLMÉIA RECOMENDA

Hempilation - Vários artistas

Coleta lançada em 1995 pela NORML, entidade americana que briga pela legalização da maconha no país. O disco é uma mistureba de estilos musicais. O Sacred Reich faz um cover da música "Sweet Leaf" do Black Sabbath. Desse álbum participam também as bandas Cypress Hill com "I Wanna Get High"; The Black Crowes com um cover de "Rainy Day Women #12 & 35" do Bob Dylan; Blues Traveler com "I Want To Take You Higher"; Sublime com "Legalize It" do Peter Tosh; e Ziggy Marley & The Melody Makers (banda de reggae originalmente formada por quatro filhos de Bob Marley) com "In the Flow" de Bob. Mais tarde, em novembro de 98, foi lançado o segundo volume desta coleta.

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h09
[ ] [ envie esta mensagem]

A COLMÉIA RECOMENDA

"Totalmente Kubrick" (Color me Kubrick/2005)

No Filme, John Malkovich interpreta Alan Conway, um vigarista homossexual londrino que durante os anos de 1998 e 1999 se fez passar por Stanley Kubrick conseguindo assim entrar em festas, restaurantes e nightclubes mais badalados de Londres (sempre no 0800), graças ao simples fato de Stanley kubrick ser um dos caras mais reclusos do chamado Show Business e por isso poucas pessoas realmente conheciam a sua fisionomia.
Baseado em fatos reais, o filme foi desenvolvido por dois colaboradores de Kubrick: Anthony Frewin e Brian Cook, responsáveis por roteiro e direção e conta ainda com um inspirado John Malkovich que arrebenta dando vida à personagem de Alan Conway.

Fonte: Volume 4

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h06
[ ] [ envie esta mensagem]

CANNIBAL CORPSE NO BRASIL

O Cannibal Corpse marcou uma turnê pelo Brasil para o próximo mês.
A banda  vem ao país para divulgar seu álbum mais recente, "Kill", que saiu no começo do ano passado.

Segue as datas:

16/10 - Porto Alegre - Bar Opinião
18/10 - Campinas - Hammer Rock Bar
19/10 - São Paulo - Hangar 110
20/10 - Belo Horizonte - Lapa Multishow

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h03
[ ] [ envie esta mensagem]

SOLO

Zack De La Rocha, vocalista do RATM, anunciou que enfim finalizou o seu álbum solo, no qual vinha trabalhando desde que se desligou do RATM, em 2000. Zack disse à Billboard que além de cantar e compor ele tocou teclado nesse álbum, e que a sonoridade do mesmo é "um híbrido entre Led Zeppelin e Dr. Dre". Para esse trabalho Zack contou com a colaboração de Jon Theodore, baterista do Mars Volta. Agora Zack está avaliando propostas de gravadoras para o lançamento do álbum, que ainda não possui título e data de lançamento definidos.
Enquanto isso, o RATM acaba de anunciar duas datas na Austrália para Janeiro de 2008, as primeiras fora dos EUA desde o recente retorno da banda, reforçando assim os rumores de uma tour mundial para o ano que vem.

Fonte: Zona Punk

Escrito por ALYSSON - 10h01
[ ] [ envie esta mensagem]

ARTE ROCK

CARTAZ DE ANDRÉ KITAGAWA

Confiram o trampo do cara: www.kitagawa.com.br/kitagawa

Escrito por ALYSSON - 10h44
[ ] [ envie esta mensagem]

NOISE 2007

O Goiânia Noise Festival acaba de anunciar dez das cerca de 40 atrações que vai receber este ano. A grande novidade no line-up 2007 é a escalação do quarteto novaiorquino Battles (foto). Também já confirmados estão os grupos The Legendary Tigerman (Portugal), Perrosky (Chile), The DTs (EUA) e Motosierra (Uruguai) e o cantor Rubin (Argentina). Entre os convidados brasileiros estão o MQN e o mundo livre S/A. O evento promete levar à capital de Goiás, entre 23 e 25 de novembro, pelo menos seis artistas internacionais e três headliners brasileiros consagrados, além de uma seleção das mais importantes bandas indies brasileiras. Ainda tem mais: numa inédita parceria entre a Monstro Discos e Trama Virtual, três bandas serão selecionadas por num concurso online, que terá suas inscrições abertas no dia 25 de setembro.
Novidade fresquinha no cenário internacional, o Battles reúne ex-membros dos grupos Helmet, Caballero e Lynx, e faz o que se convencionou chamar de math-rock - baseado em dissonâncias, andamentos incomuns e dinâmicas alteradas. A mescla de sonoridades fundamentadas no jazz e na música eletrônica de vanguarda cativou a crítica (que elogiou muito o álbum "Mirrored", lançado em maio último).
A "invasão latina" trará o blues-rock envenenado do Perrosky (na verdade um duo formado por Alvaro e Alejandro Gomez), o power-pop de Rubin (que faz sucesso em seu país de origem e vem acompanhado da banda Los Subtitulados) e a pauleira do Motosierra, velhos conhecidos dos palcos paulistas e gaúchos. O peso continua com os norte-americanos The DTs, mescla do hard rock setentista com o groove pesado das bandas de garagem. Já The Legendary Tigerman é o projeto solo do lusitano Paulo Furtado, um homem-banda que já passou pelo Brasil em 2005 (no Abril Pro Rock).
Aos 13 anos de idade, o Goiânia Noise Festival fará a edição mais internacional de sua história, com a presença de bandas e artistas de todas as partes do mundo. O festival de atrações gringas começa já nas prévias do Noise, com uma apresentação do DJ Diplo no dia 21 de outubro. Já passaram por Goiânia, em mais uma prévia do evento, os americanos do Nashville Pussy (na última sexta, dia 14). Já as três tradicionais noitadas de rock do GNF serão realizadas entre os dias 23 e 25 de novembro em local ainda a ser anunciado. Além disso, na semana que antecede o Noise, várias ações acontecerão em diversos locais da cidade. Serão ciclos de palestras, debates e workshops, pocket shows e festas.

Mais infos aqui: www.goianianoisefestival.com.br

E aqui: www.goianianoisefestival.com.br/blog

Fonte: Laboratório Pop

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h40
[ ] [ envie esta mensagem]

REUNION

No mês que vem o álbum “Never Mind The Bollocks”, do Sex Pistols, completa 30 anos de lançamento.
Para comemorar, além do relançamento do disco e do lançamento de versões vinil para os singles “Anarchy In The UK”, “God Save The Queen”, “Pretty Vacant” e “Holidays In The Sun”, a banda inglesa ainda arma uma reunião.
Esse show deve acontecer no dia 08 de novembro na Brixton Academy, em Londres.

Fonte: Dynamite

Escrito por ALYSSON - 10h34
[ ] [ envie esta mensagem]

SAINDO DO FORNO

Into the Wild - Eddie Vedder (2007 - Sony/BMG)

Tocar por 17 anos com a mesma banda é algo que faz sua vida particular (e sua própria personalidade) ficar em segundo plano. Por mais que você consiga se expressar bem, principalmente se estiver à frente do grupo, suas idéias são a idéia da banda, e teoricamente tudo reflete o pensamento e a sonoridade da banda. Isso em uma banda comum. Agora imagine toda essa história no dia-a-dia de um músico de um grupo de mega-sucesso, ícone de toda uma geração, como o Pearl Jam. Por mais que Eddie Vedder se sinta bem representado, aquilo é o Pearl Jam, não Eddie Vedder.
O "verdadeiro" Eddie Vedder pode ser confrontado agora com o lançamento de seu primeiro álbum solo, "Into The Wild", trilha sonora do filme homônimo dirigido pelo ator e cineasta Sean Penn. Uma lida no resumo do filme já diz muita coisa. "Into The Wild" conta a história real de Christopher McCandless, um jovem que largou tudo (carreira, família, dinheiro) depois de conseguir seu diploma colegial e partiu rumo ao Alasca para viver em meio à natureza. Se as letras de Vedder carregavam um hippiesmo politicamente correto desde a estréia do Pearl Jam, "Into The Wild" amplia o foco e dá mais liberdade para o cantor e compositor soltar as asas e voar.
Em entrevista a Entertainment Weekly, Vedder conta que teve toda liberdade possível para compor a trilha. "Faça o que você achar que deve fazer", disse Sean Penn. E o que Vedder queria fazer era um álbum essencialmente acústico, nos moldes de "Nebraska", clássico de Bruce Springsteen. São onze músicas em pouco mais de 30 minutos de puro Eddie Vedder. Fãs já vão gostar do disco antes mesmo de ouvi-lo. Uma boa parcela do público, no entanto, já se encheu da voz de Vedder. O Pearl Jam tocou (e ainda toca) muito, e a exposição sempre trabalha contra a banda. Porém, conceda o beneficio da dúvida para este álbum antes de torcer o nariz, e a chance de ser surpreendido é enorme.
As cinco primeiras faixas de "Into The Wild" juntas quase não ultrapassam os dez minutos. Eddie Vedder toca tudo no álbum (com exceção de um violão acústico extra em "Society" tocado pelo autor da música, Jerry Hannan, e o backing vocal da Sleater-Kinney Corin Tucker em "Hard Sun", as duas únicas músicas não compostas por Vedder no disco), de bateria a violão passando por banjo até um ukalele. O som é essencialmente folk, mas a levada pop de "Selling Forth" poderia facilmente galgar a parada de sucessos. "No Celling" traz um interessante trabalho musical, com uma guitarra duelando com o violão nas pontuações do bom arranjo. "Far Behind" segue a linha da anterior, mas é mais roqueira. "Rise" destaca o banjo enquanto "Long Nights" surge dramática.
"Tuolumne" e "The Wolf" são as duas únicas faixas essencialmente instrumentais do álbum, descontando "End Of the Road", em que o vocalista canta apenas no primeiro trecho, e a versão "Humming Version" da última faixa, "Guaranteed", que surge como coda após alguns minutos de silêncio. "Hard Sun" é o primeiro single, e é um cover do artista canadense Índio, codinome do compositor Gord Peterson. É também a canção mais longa do disco, ultrapassando os cinco minutos (a versão single é mais curta), mas é grandiosa. Eddie Vedder canta magnificamente bem, e o apoio de Corin Tucker no refrão é plenamente justificável. "Into The Wild" é um belíssimo trabalho solo, um grande disco que serve para lançar um novo olhar sobre um dos grandes vocalistas e songwriters dos anos 90. Eddie Vedder merece a sua atenção. Agora é aguardar o filme...

Fonte: Coluna Revolution / Resenha escrita por: Marcelo Costa

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h31
[ ] [ envie esta mensagem]

A COLMÉIA RECOMENDA

Danzig - Dazing (1988)

O que dizer de Glenn Danzig? O cara foi a mente criativa dos fabulosos Misfits. Influênciou milhares de bandas mundo à fora, uma delas chamada Metallica, etc e tal. Mas é claro e notório que Glenn Dazing nunca viveu à sombra dos Misfits.
Em 1988, após o fim da sua banda pós Misfits, o Samhain, Glenn Danzig lançou um álbum fuderosíssimo. O disco em questão apresentava uma nova banda, batizada apenas com o nome do vocalista.
Poderíamos ilustrar o som como sendo o Black Sabbath tocando no inferno, com Jim Morrison nos vocais. Sem dúvida o melhor disco do Dazing. Destaque pra faixa Mother, um clássico oriundo das profundezas do inferno.

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h01
[ ] [ envie esta mensagem]

THE DT'S NO BRASIL

O DT’s confirmou sua apresentação no Brasil dentro da décima-terceira edição do festival Goiânia Noise.
O conjunto que tem em sua formação o mito Dave Crider (dono da Estrus Records, e ex-Mono Men e The Watts) toca no festival ao lado de outros nomes já confirmados como Motosierra (Uruguay), Battles (EUA), The Legendary Tigerman (Portugal), MQN, Mundo Livre SA, Perrosky (Chile), Mechanics, Rubin (Argentina) e Ecos Falsos.
O festival acontece entre os dias 23 e 25 de novembro e ainda tem outros nomes a confirmar em seu line-up.

Mais infos aqui: www.goianianoisefestival.com.br  /  www.myspace.com/thedts  

Fonte: Zona Punk

Escrito por ALYSSON - 09h59
[ ] [ envie esta mensagem]

GROHL x LOVE

Dave Grohl faz música criticando Courtney Love

O vocalista dos Foo Fighters e ex-baterista do Nirvana, Dave Grohl fez uma música que, segundo entrevista dada ao jornal The Guardian, critica o conturbado romance entre Courtney Love e Kurt Cobain.
De acordo com a entrevista, a canção Let It Die, que estará no próximo disco dos Foo Fighters, é sobre o casal Cobain - Love.
A letra, que descreve "um simples homem e sua noiva vergonhosa, intravenosa, entrelaçada", já causou controvérsia, com muitos dos ouvintes tendo associado os personagens da música a Cobain e Love.
Sobre as especulações, Grohl enigmaticamente explicou que a canção foi "escrita sobre se sentir paralisado acerca do legado de uma pessoa".
No entanto, o músico falou diretamente sobre Cobain e Love: "Eu vi gente perder tudo por causa de drogas, relacionamentos e por morte. Aconteceu mais de uma vez em minha vida, mas em quem eu mais percebi isso foi em Kurt."
Além disso, acrescentou: "Há muitas pessoas de quem tive raiva na vida, mas de quem mais tive foi de Courtney. Então, é muito óbvio que isso venha a aparecer de vez em quando."
O novo disco dos Foo Fighters, Echoes, Silence, Patience & Grace, deve ser lançado em 25 de setembro, mas já vazou na Internet.

Neto

Escrito por ALYSSON - 09h57
[ ] [ envie esta mensagem]

SET LIST - CIDADE ROCK - 16/09/2007

1º BLOCO

01 - The Police - It's Alright for You
02 - U2 - Bullet the Blue Sky
03 - Echo and Bunnymen - All That Jazz (live)
04 - New Order - Rock the Shack
05 - Morrisey - It's hard to walk tall when you're small

2º BLOCO

06 - Bad Religion - Modern Man
07 - Offspring - Killboy Powerhead
08 - Millencolin - Afghan
09 - Green Day - Basket Case (live)
10 - Buzzcocks - Driving You Insane
11 - Agnostic Front - Take Em All (Cock Sparrer Cover)

3º BLOCO

12 - Monster - At Last (Momento Beerock)
13 - André Mattos - Rio
14 - Delpht - From Hades to Earth
15 - Tribuzy - Beast in the Light
16 - Fates Prophecy - Hollow Man
17 - Viper - Miracle

Mais infos sobre o Monster aqui: www.monstermetal.com

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade.

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 09h59
[ ] [ envie esta mensagem]

SÍNDROME DE DOWN

O Down disponibilizou 3 músicas novas no My Space da banda, “I Scream”, “On March The Saints” e “N.O.D.” fazem parte do novo album “Down III: Over The Under” com lançamento para 25 de setembro pela Warner. Apesar de ainda não ter sido lançado oficialmente, o disco já vazou na net. Com uma garimpagem pela rede já é possível encontrar o play para download.
Pros alienados de plantão, vale lembrar que o Down conta com Phil Anselmo, ex-Pantera, nos vocais.

Ouça aqui: www.myspace.com/downnola

Fonte: Dynamite

Escrito por ALYSSON - 09h56
[ ] [ envie esta mensagem]

NOVO DA NAÇÃO SAI EM OUTUBRO

A Nação Zumbi revelou qual será o título de seu próximo álbum, sucessor de “Futura”, que saiu em 2005.
O novo trabalho da banda pernambucana se chamará “Fome de Tudo”.
Esse disco, com participações especiais da cantora Céu e do tecladista norte-americano Money Mark, tem lançamento previsto para o próximo mês.
“Fome de Tudo” marca a estréia da nação na DeckDisc, gravadora com a qual assinou há poucos meses.

Fonte: Dynamite

Escrito por ALYSSON - 09h53
[ ] [ envie esta mensagem]

SAINDO DO FORNO

André Matos - Time to be Free (2007)

Pra quem gosta, o debute solo do cara já está disponível nas lojas e net.

Saca só o line-up:

Andre Matos - Vocals & Piano (ex-Viper (Bra), ex-Angra, Shaman (Bra), Looking-Glass-Self, Virgo (Matos/Paeth)
Andre Hernandez - Guitar (ex-Angra)
Hugo Mariutti - Guitar (ex-Shaman (Bra), Henceforth)
Luis Mariutti - Bass (ex-Angra, ex-Shaman (Bra), Henceforth)
Eloy Casagrande - Drums

Escrito por ALYSSON - 09h59
[ ] [ envie esta mensagem]

MAIDEN NO ROCK IN RIO

Iron Maiden deve ser a principal atração do próximo Rock in Rio (que não será no Rio)

De acordo com o site Maidenfans, o Iron Maiden será a atração principal do Rock In Rio do ano que vem, que acontece em Lisboa, em Portugal (30 e 31 de maio e de 6 a 8 de junho), e Madri, na Espanha (27 e 28 de junho e 4 a 6 de julho).
As apresentações fazem parte da Somewhere Back in Time Tour 2008, na qual a banda faz uma visita ao passado, dessa vez ao período que cobre os álbuns Powerslave, Somewhere in Time e Seventh Son of a Seventh Son.
A turnê ainda deve passar pela América do Sul no ano que vem. Apesar de alguns boatos dizerem que a banda desembarca no Brasil em janeiro, segundo o site oficial do Maiden a turnê começa em fevereiro na Austrália. O site menciona que a banda vem, sim, para a América do Sul, mas, até o momento, nenhuma data ou local foram anunciados.

Na foto acima, o avião que a banda usará na turnê. Detalhe, o próprio Bruce Dickinson pilotará o avião.

Fonte: Omelete

Escrito por ALYSSON - 09h45
[ ] [ envie esta mensagem]

A COLMÉIA RECOMENDA

Tribuzy - Execution Live Reunion

(2007 / Hellion Records - nacional)

Segue resenha escrita por Ben Ami Scopinho para o portal Whiplash:

Gostem ou não da idéia, Tribuzy garantiu uma boa posição na história do Heavy Metal brasileiro com o disco “Execution” (05). E não somente pelas participações de Bruce Dickinson, Michael Kiske, Matt Sinner, Roland Grapow, etc, etc... As canções eram realmente excelentes e foram devidamente elogiadas ao redor do globo. Mesmo assim, na época achei que seria pouco provável acertar as agendas de tantas estrelas e colocá-las sobre o mesmo palco para os shows ao vivo.
Mas não é que o carioca Renato Tribuzy conseguiu este feito, arregimentando a maioria dos convidados que colaboraram em estúdio? Gravado em 12 de novembro de 2005 no Credicard Hall (SP), produzido por Roy Z e o próprio Renato, “Execution Live Reunion” apresenta o mesmo repertório do álbum de estúdio, com as faixas numa seqüência diferente e ainda contando com “The Means”, um bônus acústico de estúdio originalmente liberado somente para a versão japonesa de “Execution”.
E sua audição parece uma viagem de retorno ao tempo, tal a influência que a energia e peso do metal clássico e oitentista exerce em suas composições, ainda que haja seus momentos mais progressivos e thrash. Renato se esforça para inflamar a platéia, que dá as devidas boas-vindas a cada convidado que entra no palco, onde quem obteve a aclamação mais calorosa foi, compreensivelmente, Bruce Dickinson, que correspondeu com o carisma que lhe é peculiar.
Se os duetos entre os convidados, os solos, os refrões – e que refrões! – praticamente tudo, consegue arrancar aquele sorriso de satisfação de quem está apenas escutando o CD – então imaginem a reação da platéia que estava assistindo tudo ao vivo! Como o próprio Renato Tribuzy disse durante a apresentação, “... os caras viajaram horas e horas no oceano para estar com vocês...”, então o negócio é curtir um bom show, bem gravado e executado.
Para o Renato em particular, este terá muita história para contar a seus filhos e netos, tendo como prova sua música e imagens ao lado de personalidades que, mesmo num mundo de negócios, se mostram felizes por tocar para aquela que é reconhecida mundialmente como uma das platéias que mais dá vazão ao que sente em relação à música – seja qual for ela.
... Pena que a grande jam, onde todos os músicos envolvidos neste show participaram do cover de “Tush” (ZZ Top), ficou de fora do CD, constando apenas no DVD...

Formação:
Renato Tribuzy – voz
Gustavo Silveira – guitarra
Frank Schieber – guitarra
Ivan Guilhon – baixo
Flávio Pascarillo – bateria

Participações Especiais:
Bruce Dickinson – voz
Ralph Scheepers – voz
Matt Sinner – voz e baixo
Kiko Loureiro – guitarra
Andréas Kisser – guitarra
Roland Grapow – guitarra
Roy Z – guitarra
Chris Dale – baixo
Sydney Sohn – teclados

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 09h40
[ ] [ envie esta mensagem]

EDGUY NO BRASIL

Em uma nota sobre a nova tour no site oficial do EDGUY, foi confirmada a vinda da banda ao Brasil em novembro. "Edguy retornará ao Brasil para um show, o Greenpeace Manifesto Festival, no Via Funchal (São Paulo), no dia 11 de novembro."

O festival Greenpeace Manifesto ocorre de 30 de outubro a 16 de novembro em São Paulo. Entre outras atrações estão confirmadas as bandas The Mission, Toto (no dia 12 de novembro), além de Earth Wind & Fire, Kenny G e outros.

Mais infos aqui: http://www.greenpeacemanifesto.org.br

Escrito por ALYSSON - 09h35
[ ] [ envie esta mensagem]

VIXE!!!

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h45
[ ] [ envie esta mensagem]

A COLMÉIA RECOMENDA

New Model Army - The Ghost of Cain (1986)

Fui atrás desse disco por mera curiosidade. O Gastão Moreira havia escrito um livro da Mojo Books tendo o disco como tema. Após ler trechos do livro e entrevistas com o autor, meus ouvidos ficaram sedentos para ouvir o tal “The Ghost of Cain”.
Após a degustação, cheguei a conclusão que o disco é tudo que dizem e mais um pouco. 
O NMA é uma banda dificil de se classificar, mas com certeza o estilo e espirito que melhor se encaixam para eles é o punk. Mas não pensem que é aquele som simples, 3 acordes, etc. O som dos caras transcede o estilo, onde o acústico se funde com o elétrico, com as canções sendo sempre recheadas de violões e teclados, além do trio básico - baixo, guitarra e bateria.
Tendo fãs confessos como o pessoal do Ratos de Porão e do Sepultura, a banda sem dúvida é extremamente injustiçada, e até ignorada em todo o mundo.
Um clássico que merece respeito e audição cuidadosa pelos que procuram raízes e referências.

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h44
[ ] [ envie esta mensagem]

PRA ASSISTIR COM OS AVÓS

Ken Park (2002)
Direção: Larry Clark / Edward Lachman

Resenha escrita por: Érico Borgo para o portal Omelete

Impossível negar: Larry Clark é dono de uma grife imediatamente reconhecível. Quando um longa do sempre polêmico cineasta independente entra em cartaz, é fácil saber o que esperar. Todos os seus filmes discorrem sobre adolescentes que desperdiçam sua juventude com sexo, drogas e violência.
Entretanto, depois de um início estrondoso com Kids (1995), filme utilizado por pais e professores para educar/chocar filhos e alunos a respeito das drogas e do sexo sem proteção, toda a produção de Clark caiu na mesmice e passou a apresentar pouca profundidade. Ken Park (2003), sua mais recente produção, não é diferente.
Claro, boa parte dos elementos de Kids continuam no quarto longa-metragem do cineasta, bem como a idéia de que os pais e filhos da América não prestam, mas é difícil saber se é o diretor que perdeu vigor ou o tema ficou batido, explorado exautivamente em plena Era Bush. De qualquer maneira, sem a amarração das duras mensagens reacionárias do primeiro filme, tais recursos tornam-se apenas seqüências que parecem servir de mera desculpa para o uso desembestado desses elementos polêmicos.
Ambientado no subúrbio de Visalia, Califórnia, uma cidadezinha entre Los Angeles e Fresno, Ken Park começa com um suicídio em público, com direito a jorro de sangue e imagem congelada, e termina com um casual menàge a trois entre dois meninos e uma garota. Entre os dois pólos, estão histórias que mostram um garoto que transa com a mãe de sua namorada, outro às voltas com um pai machão (cheio de desejos inconscientes) e um terceiro, que aprecia a auto-asfixia enquanto se masturba furiosamente, ao som dos gritinhos de jogadoras de tênis na televisão. Tudo completamente despudorado, pornozão mesmo, passando por momentos de total escatologia que desafiam os estômagos mais sensíveis.
O elenco de jovens é totalmente amador e contrasta com os atores profissionais que interpretam os pais (de famosa mesmo só a Amanda Plummer, de Pulp fiction). Desta vez, Clark também teve ajuda na direção de Edward Lachman, o diretor de fotografia de Longe do Paraíso, talvez para captar melhor a consistência de esperma escorrendo, os ângulos de reflexão da luz pela urina ou a textura dos pêlos pubianos de meninos adolescentes. Desculpe a franqueza, mas, se você decidir encarar o filme, é melhor que esteja devidamente ciente do que vai encontrar.
Pior do que isso, é triste constatar que Clark não compreende o poder do que tem em mãos. Situações que bem manejadas, sem apelação, renderiam uma narrativa decente. Um bom exemplo é a história do rapaz rejeitado pelo pai, que, por bons minutos, parece ser a melhor das tramas paralelas, a mais equilibrada e menos afetada. O menino anda de skate e fuma maconha. O pai julga-o um vagabundo, mas só se distingue do filho pelos hábitos: prefere cerveja, musculação e televisão. Seria um sugestivo retrato do abismo entre pais e filhos e da carência que isso provoca. Infelizmente, ao final da historieta, quando o pai adormece bêbado na cama do filho, Clark não se contém: estraga um desfecho espirituoso com mais uma sessão de pornografia gratuita.
Vale, porém, ressaltar um ponto positivo da película... poder assistir a um filme pornô no conforto do circuito de arte dos cinemas brasileiros. Cuidado apenas com os vizinhos de poltrona... nunca se sabe que tipo de gente pode estar numa projeção da grife Larry Clark.

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h43
[ ] [ envie esta mensagem]

EM ARARAQUARA

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 09h18
[ ] [ envie esta mensagem]

LED EM SUA ENCARNAÇÃO FEMININA

Escrito por ALYSSON - 09h15
[ ] [ envie esta mensagem]

DaViD GILMOUR

Músico lança DVD com apresentação ao vivo no Royal Albert Hall

Será lançado no dia 17 de setembro o DVD Remember That Night - Live at the Royal Albert Hall do vocalista e guitarrista do Pink Floyd, David Gilmour. O disco tem cinco horas, duas e meia dedicadas a uma apresentação de Gilmour na famosa casa de shows de Londres em 2006, parte da turnê On an Island. David Mallet (David Bowie, Queen) dirigiu a gravação.
No show do Royal Albert Hall, Gilmour se apresentou ao lado de Richard Wright (Pink Floyd) e Phil Manzanera (Roxy Music) e recebeu convidados como David Bowie, Robert Wyatt (Soft Machine), David Crosby e Graham Nash (Crosby, Stills, Nash & Young). Entre os extras do DVD destacam-se o minidocumentário, Breaking Bread, Drinkin Wine, registro dos bastidores da turnê, e versões alternativas de "Dark Globe" e "Astronomy Domine", de Syd Barrett. O encarte caprichado tem 20 páginas e mais de 80 fotos.
No último dia 6, Gilmour apresentou algumas faixas em Londres para divulgar o DVD. Alguns convidados na platéia, entre eles Robert Plant (Led Zeppelin), Rick Wright e Steve DiStanislao (Crosby & Nash), subiram ao palco para tocar "Island Jam" com Gilmour.
Depois do show, o guitarrista ainda respondeu algumas perguntas dos presentes e revelou coisas interessantes. Gilmour contou que se tivesse composto uma música da atualidade, ela seria "Crazy", de Gnarls Barkley, "simplesmente por que é uma faixa incrível", mas confessou que não anda muito por dentro do que rola na música atual. Para ele, é mais fácil se comover com Bob Dylan e Leonard Cohen, compositores que realmente o impressionam.

Fonte: Omelete

Escrito por ALYSSON - 09h11
[ ] [ envie esta mensagem]

EM JAÚ

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h38
[ ] [ envie esta mensagem]

MARTIATAKA

Vale a pena dar uma escutada nessa banda de Juiz de Fora. Hard rock dus bão, com alguns momentos de energia poser, mas apontando para bandas como Blue Oyster Cult, Lynyrd Skynyrd, Guns N' Roses, The Darkness, etc.

Download dos sons aqui: www.martiataka.com

Escrito por ALYSSON - 10h34
[ ] [ envie esta mensagem]

FREEBASS

New Order + Primal Scream + The Smiths

Enquanto o New Order arde nas chamadas da discórdia, o ex-baixista da banda e pivô da crise, Peter Hook, anunciou em entrevista à Billboard que o primeiro álbum do seu projeto Freebass deve sair antes do fim desse ano. O novo grupo de Hook é formado pelos também baixistas Mani, do Primal Scream, e Andy Rourke, ex-Smiths.
“Eu sentei com Mani e Rourke e nós queremos desesperadamente tocar nos festivais do próximo ano. Vamos trabalhar duro para terminar esse disco até o Natal”, disse Hook para a publicação norte-americana.
O esboço de uma das faixas do Freebass já pode ser ouvido no MySpace do ex-baixista do New Order (http://www.myspace.com/peterhookneworder). “I Envy Us” aparece em uma versão bem adiantada com guitarras e bateria. Peter afirma que quase metade do disco já está concluída.
Além dos três integrantes, outras figuras ilustres emprestaram suas gargantas ao Freebass. Ian Brown, do Stone Roses, Bobby Gillespie, vocalista do Primal Scream, e até Liam Gallagher, do Oasis, estão entre os convidados do disco, que ainda não possui nome

Fonte: Zona Punk

Escrito por ALYSSON - 10h30
[ ] [ envie esta mensagem]

SET LIST - CIDADE ROCK - 09/09/2007

1º BLOCO

01 - Stooges - I Wanna Be Your Dog
02 - MC5 - Rocket Reducer nº62 (Rama Lama Fa Fa Fa)
03 - Dead Boys - Down in Flames
04 - The Datsuns - Motherfucker From Hell
05 - Motosierra - F.U.C.K.
06 - Guitar Wolf - Fujiyama Attack

2º BLOCO

07 - Água Pesada - Passei da Conta
08 - Walverdes - Quando Tudo Explodir
09 - SonicVolt - Fora de Foco
10 - Flaming Moe - Nitro Z (Momento Berrock)
11 - Van Damien - Norotic

3º BLOCO

12 - G.B.H - Maniac
13 - Megadeth - Anarchy in the UK (Sex Pistols Cover)
14 - Prong - Unconditional
15 - Anthrax - Indians
16 - Exodus - Tempo of Damned

Mais infos sobre o Flaming Moe em: www.flamingmoe.com.br

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade:

 

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 10h34
[ ] [ envie esta mensagem]

EM FRANCA

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h28
[ ] [ envie esta mensagem]

ENTREVISTA: MATANZA

Segue entrevista concedida recentemente ao portal da Ideal Records.

Como surgiu a idéia de fazer um quadrinho do Matanza? E é sobre o que?
A idéia já havia desde o começo da banda. Sempre soubemos que um Matanza Comix seria uma excelente forma de desdobramento do universo temático que abordamos. A revista segue o mesmo caminho que as letras das músicas, ou seja, falam de Diabo, bebida e mulher, basicamente.
Porque a arte de insultar é melhor do que a de elogiar, poetizar? Vocês já tentaram em algum passado de vocês tentar não insultar?
Isso só pode ser algum tipo de piada... Elogiar? Poetizar? Tá maluco, vovó?
O que vocês acham dessas bandas emo que tocam na radio?
Não sei o que é banda-emo e nem o que é rádio.
No rock gol, Jimmy se desentendeu com o Di do NX ZERO. Isso já é passado, já está resolvido?
Duas bichas. Muito falatório e porrada que é bom, nada.
Existe algum plano de fazer um outro disco de covers, como "To Hell With Johnny Cash"?
Tenho certeza que, mais cedo ou mais tarde, vamos acabar fazendo mais um disco assim. Não temos nenhum plano concreto mas, idéias, temos muitas.
Teve um programa de TV, aonde vocês jogaram boliche com o Rocket Rock? Qual foi o resultado desse jogo? E quais esportes o pessoal do Matanza pratica?
O Rock Rocket rouba. Quando você vai pegar um cerveja, eles dão um jeito de mexer no placar. É foda... No Matanza, o único saudável é o China, que surfa. O resto é verme.
Como foi abrir o show do Mortohead aqui no Brasil? E quais bandas ou artistas que vocês gostariam de tocar juntos?
Abrir o Motorhead foi muito legal, mas eu não quero passar por isso de novo. O show foi ótimo, a galera curtiu, mas é muita responsabilidade pro bebum aqui.
Qual foi as maiores satisfações em todo esses anos de banda?
Tudo que envolve trabalhar profissionalmente com uma banda de rock é muito trabalhoso e sacrificante, mas todas as etapas são realmente divertidas. Desde a pré-produção, até a gravação do disco, os shows de lançamento... É uma grande satisfação viajar de norte ao sul do país e saber que vai voltar e fazer tudo de novo no ano seguinte.
O Matanza é considerado por muitos como música de macho. E o que para vocês é música de macho? Quais grupos fazem musica de macho?
Música de macho eu acho pouco apropriado. Melhor seria música de ogro, porque eu só vejo ogro no show do Matanza. Agora, se são machos ou se deixam de ser, honestamente, não me interessa.
O Matanza é realmente a única banda de countrycore do Brasil, ou vocês conhecem outros grupos nesse estilo?
Realmente eu não conheço ninguém que faça com o Country o que o Flogging Molly faz com a música Irish, por exemplo. Nesse sentido, o mais perto que eu já vi chegar, no mundo, foi o Matanza mesmo...Ouça o "To hell with Johnny Cash" e diga se estou errado.
Existe alguma possibilidade do Jimmy seguir uma carreira solo, já que agora ele é astro da MTV, já que apresenta o programa Pimp my ride Brasil?
Quanto à uma carreira solo, eu não sei, mas gostaria muito trabalhar num disco solo do Jimmy. Primeiro por que eu acho que existe muita coisa de Country velho que a gente gosta e que não cabe no Matanza. Segundo por que eu o considero um vocalista muito bom e tenho certeza que sairia um ótimo disco.
Nos diga quais as influencias de musicas irlandesas, vocês tem? E o nesse ultimo CD a arte de insultar , aonde essa influencia aparece?
The Dubliners e Shane MacGohan, principalmente, mas tem muita coisa tipo Flogging Molly, Dropkick, Bloody Irish Boys que a gente adora... Duas músicas no Arte do Insulto remetem à esse som ( "Sabendo que posso morrer" e "Estamos todos bêbados" ) mas muito vagamente, eu acho.
Algumas das temáticas mais usados pelo Matanza é bebidas, drinques etc. De uma dica de bebida ai pro pessoal, ou um bar maneiro.
Matanza Drinks: "Reign in Blood" – uma dose de cachaça, uma dose de Catuaba Selvagem.
"Before you see the light" – uma dose de Fogo Paulista, uma dose de Conhaque de alcatrão.
"Show no mercy" – Em meio copo, misture 3 destilados transparentes (cachaça, vodka e genebra). Complete o resto do copo misturando 3 destilados escuros (catuaba, jurubeba e fernet).
E o DVD ao vivo quando sai?
Pretendemos gravar em dezembro e lançá-lo no começo de 2008.

Escrito por ALYSSON - 10h27
[ ] [ envie esta mensagem]

Hell Tur

Iron Maiden anuncia turnê "ambiciosa" em 2008; América do Sul está na rota

O grupo britânico de heavy metal Iron Maiden anunciou esta quarta-feira a turnê mundial "Somewhere Back In Time", que começará em fevereiro de 2008 e terminará em agosto, na Europa. A banda, que vai viajar com sua equipe de 60 pessoas e 12 toneladas de equipamento em um avião pilotado pelo vocalista Bruce Dickinson, definiu a empreitada como a "mais extraordinária e ambiciosa da história do Iron Maiden".
De acordo com o comunicado emitido pelo grupo, a turnê se dividirá em três "pernas": a primeira de fevereiro a maio em 20 cidades pelo mundo, começando por Perth, na Austrália (país onde o Iron Maiden não toca há 15 anos) e cobrindo Índia, Japão e as Américas do Norte, Central e do Sul; a segunda de maio a junho, apenas nos Estados Unidos; e a terceira de julho a agosto, em festivais pela Europa.
O avião que levará o Iron Maiden durante a turnê será um Boeing 757 especial, adesivado com o logo do grupo e a imagem de seu mascote, o monstro Eddie. Isso, de acordo com o vocalista Bruce Dickinson - que é um piloto certificado pela Astraeus Airlines -, além de facilitar a logística da turnê, permite que a banda calcule seu "impacto de carbono" e faça as contribuições ambientais necessárias.
Os shows serão focados no repertório dos anos 80, com cenários derivados dos álbuns "Powerslave" e da turnê "Somewhere In Time", de 1986. "Como em nossa última turnê nós começamos todos os shows tocando o disco 'A Matter of Life and Death' [de 2006] na íntegra, consideramos que era hora de fazer algo diferente pelos fãs", afirma o baixista Steve Harris na nota.

Neto - Fonte: Folha On Line

Escrito por ALYSSON - 10h21
[ ] [ envie esta mensagem]

DIA DA INDEPENDÊNCIA

O blog entra em recesso. Novos posts na segunda-feira (10/09/2007).

Segue ae uma dica de evento pra galera curtir no feriado.

Além do Passeio, vai rolar apresentação de acrobacias insanas by ProX.

Escrito por ALYSSON - 09h34
[ ] [ envie esta mensagem]

EM SERRANA

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 09h31
[ ] [ envie esta mensagem]

MOTOSIERRA - F.U.C.K

Escrito por ALYSSON - 09h27
[ ] [ envie esta mensagem]

MEGABOX

Megadeth anuncia caixa com 4 CDs e um DVD

O Megadeth anunciou o lançamento de uma caixa com 4 CDs e um DVD, que traz o que de melhor a banda produziu ao longo de sua história. Intitulada Warchest, a caixa será lançada pela Capitol/EMI, ex-gravadora da banda, no dia 2 de outubro.
Além de uma espécie de "best of" do Megadeth, Warchest trará nada menos do que 30 faixas inéditas, selecionadas entre versões ao vivo e demos de estúdio. Já o DVD traz na íntegra a apresentação da banda no famoso Hammersmith de Londres, gravada em setembro de 1992.

Segue o set list:

Disco 1:

01. "Killing is my business ... And business is good!"
02. "The skull beneath the skin"
03. "Peace sells"
04. "Wake up dead"
05. "Devils island"
06. "Set the world afire"
07. "Into the lungs of hell"
08. "Anarchy/Problems" (versão inédita)
09. "Hook in mouth"
10. "Liar"
11. "In my darkest hour"
12. "No more Mr. nice guy"
13. "Dark themes ..." (inédita)
14. "Holy wars ... The punishment due" (demo de Casey McMackin - inédita)
15. "Tornado of souls" (demo inédita)
16. "Five magics" (demo inédita)
17. "Hangar 18”

Disco 2:

01. "Keeping score ..." (inédita)
02. "Symphony of destruction"
03. "Go to Hell"
04. "Foreclosure of a dream"
05. "Architecture of aggression" (demo)
06. "Skin o' my teeth" (live at Alpine Valley, East Troy, WI 5/23/92)
07. "High speed dirt" (live at Alpine Valley, East Troy, WI 5/23/92)
08. "Ashes in your mouth" (live at the Cow Palace, S.F., CA 12/4/92)
09. "Sweating bullets" (live at the Cow Palace, S.F., CA 12/4/92)
10. "Breakpoint" (versão inédita)
11. "Angry again"
12. "Train of consequences"
13. "Reckoning day"
14. "New world order"
15. "The killing road"
16. "Strange ways"
17. "Paranoid"
18. "Diadems"
19. "A tout le monde”

Disco 3

01. "Trust"
02. "Almost honest"
03. "Use the man"
04. "She-wolf"
05. "A secret place" (live at Woodstock, NY 7/25/99)
06. "One thing"
07. "Duke nukem"
08. "Insomnia"
09. "Crush 'em"
10. "Kill the king"
11. "Dread and the fugitive mind"
12. "Never say die"
13. "Moto psycho"
14. "1000 times goodbye"
15. "Coming home"
16. "Kick the chair"
17. "Of mice and men”

Disco 4 (Ao vivo, em Wembley, Londres, em 1990):

01. "Intro/rattlehead"
02. "Wake up dead"
03. "Hangar 18"
04. "Hook in mouth"
05. "The skull beneath the skin"
06. "The conjuring"
07. "In my darkest hour"
08. "Lucretia"
09. "Devils island"
10. "Take no prisoners"
11. "Peace sells"
12. "Black friday"
13. "Holy wars ... The punishment due"
14. "It's electric"
15. "Anarchy in the U.K.”

Disco 5 (DVD):

01. "Holy wars ... The punishment due"
02. "Wake up dead"
03. "Hangar 18"
04. "Lucretia"
05. "Sweating bullets"
06. "In my darkest hour"
07. "Tornado of souls"
08. "Ashes in your mouth"
09. "Peace sells"
10. "Anarchy in the U.K"

Escrito por ALYSSON - 09h18
[ ] [ envie esta mensagem]

EM UBERLÂNDIA

CICLO DE DEBATES JAMBOLADA

14/09 Sexta-Feira

14:00 - Circuito Fora de Eixo: Circulação, Distribuição e Produção de conteúdo
palestrantes: Pablo Capilé (Instituto Cultural Espaço Cubo -MT)
Marcelo Domingues (Festival Demo Sul , Londrina-PR)
Mediador: Talles Lopes (Festival Jambolada)

16:00 - Música e comunicação independente nos Festivais
palestrantes: Israel do Vale( Rede Minas-MG)
Rodrigo Lariú (Festival Evidente,RJ)
Mediador: Alessandro Carvalho (Festival Jambolada)

Local: UFU - Bl. 3 E - Campus Santa Mônica
Entrada Gratuita

15/09 Sábado

14:00 - Lançamento do Circuito Mineiro de Música Independente
Mediadora: Mariana Soldi (Festival Jambolada)

SHOWS FESTIVAL JAMBOLADA 2007

14/09 Sexta-feira

local: Acrópole
abertura dos portões: 18h

19:00 h - Vandaluz (MG)
19:45 h - Ácidogroove (MG)
20:30 h - Proa (MG)
21:15 h - Falcatrua (MG)
22:00 h - Juanna Barbera (MG)
22:45 h - Tom Zé
00:30 h - Los Porongas (AC)
01:15 h - Vanguart (MT)
02:00 h - Porcas Borboletas (MG)
02:45 h - Daniel Belleza & Os Corações em Fúria (SP)

15/09 Sábado

local: Acrópole
abertura dos portões: 18h

19:00 h - Um Bando e o Fim da Quadrilha (MG)
19:45 h - The Dead Lover's Twisted Heart (MG)
20:30 h - Super HI-FI (RJ)
21:15 h - Estrume'n'tal (MG)
22:00 h - Dead Smurfs (MG)
22:45 h - Astronautas (PE)
23:30 h - Supergalo (DF)
00:15 h - Superguidis (RS)
01:00 h - Antena Buriti (MG)
02:00 h - Nação Zumbi

16/09 Domingo

local: Arte na Praca Especial Jambolada_ Praça Sérgio Pacheco
Entrada Gratuita

12:00 h Quarto de Tom (MG)
13:00 h Duofel (SP)
14:00 h Makely Ka (MG)
15:00 h O Quarto das Cinzas (CE)
16:00 h Móveis Coloniais de Acaju (DF)

Adquira seu passaporte promocional antecipado por R$ 10,00 até dia 13/09 para os dois dias de shows na Acropóle.
Ingressos na portaria por dia de evento: R$ 14,00 (inteira) R$ 7,00 (meia)

Pontos de vendas:

Zagaia Tatuagens, Piercing
Av: João Pinheiro, 231
fone: 3235-5663

Açaí da Terra
Av. Liberdade, 285
Fone: 3214-5080

Disk ingresso: 3291-3291

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 11h13
[ ] [ envie esta mensagem]

EM CAMPINAS

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 11h09
[ ] [ envie esta mensagem]

IRA! NA GELADEIRA

Depois de ter sido anunciado que o vocalista Nasi não fazia mais parte da banda paulistana Ira!, o cantor veio a público para esclarecer que a história não é bem assim.
De acordo com Nasi, há tempos o Ira! pensa em tirar férias e isto acontecerá durante o ano que vem. No dia 15 de dezembro a banda faz o último show de divulgação de seu álbum mais recente, Invisível DJ.
Segundo ele, todos os integrantes estão cientes da decisão, que foi tomada em conjunto, e o anúncio de que ele não fazia mais parte da banda foi mal interpretado: "Estou sendo honesto e lembrando a todos do que foi combinado".
Mas Nasi não afasta a possibilidade das férias não terem volta. Para o vocalista do Ira!, uma banda não tem que durar para sempre: "Tem que ser para sempre enquanto durar". O plano é que os integrantes do grupo se reúnam em 2009 para decidir se a banda segue adiante.
O guitarrista Edgard Scandurra confirmou que a decisão foi tomada em comum acordo e disse que pretende cuidar de sua carreira solo e de seu restaurante, além de fazer uma viagem à Itália com os filhos.
O Ira! tem 26 anos de vida. A banda é formada por Nasi, Scandurra, Ricardo Gaspa (baixo) e André Jung (bateria). Surgido em meados dos anos 80, o Ira! continuou firme até hoje, sendo apontado como um dos principais nomes do rock nacional.

Fonte: Omelete / Escrito por: Luciana Maria Sanches

Escrito por ALYSSON - 11h07
[ ] [ envie esta mensagem]

MOMENTO FOTOLOG

GUERRILHA GIG FESTIVAL

Dia: 01 de setembro / 2007 / Franca - SP

Shows: UDJC, Eletrodo, The Flag Pops e Tuizim

Fotos: Neto

Categoria: Shows
Escrito por ALYSSON - 10h36
[ ] [ envie esta mensagem]

SERA?

ROQUEIROS TÊM O DOBRO DE CHANCE DE MORRER JOVENS, DIZ ESTUDO

Pesquisa incluiu 1.050 artistas de Europa e EUA; drogas e álcool mataram um em cada quatro

Músicos de rock e pop apresentam o dobro de probabilidade de morrer na juventude em relação ao restante da população, de acordo com estudo da Universidade John Moores, em Liverpool, no noroeste da Inglaterra.
Os pesquisadores analisaram 1.050 roqueiros europeus e americanos. Cem deles morreram entre 1956 e 2005 - sendo que as estrelas americanas morreram com uma média de idade de 42 anos e os europeus, com 35.
O consumo de drogas e bebidas alcoólicas está por trás de uma em cada quatro dessas mortes prematuras, disse o Journal of Epidemiology and Community Health.
O estudo é divulgado no momento em que a cantora britânica Amy Winehouse ganha destaque na mídia pelos seus problemas com abuso de drogas e álcool.
Segundo os pesquisadores, as conclusões do estudo, especialmente no que diz respeito ao abuso de drogas e álcool, deveriam ser observadas com atenção pela indústria fonográfica.
Segundo eles, isto é importante pois os artistas têm uma grande influência sobre o público - e uma em cada dez crianças no Reino Unido deseja ser um artista pop.
O chefe da pesquisa, Mark Bellis, disse que é preciso pensar em formas de impedir que astros da música promovam comportamento que prejudique a saúde. "Os astros poderiam fazer mais para promover ativamente mensagens positivas de saúde, mas isto precisa ser apoiado por exemplo em seu comportamento."
Paul Stokes, editor da revista especializada em música New Musical Express, disse que "o problema é que os astros do rock costumam passar os primeiros anos da carreira lutando para sobreviver e depois conseguem tudo realmente depressa".
“Não há mecanismo de controle e com uma cultura que, com freqüência prestigia excessos, isto cria problemas."
Já para a Associação da Indústria Fonográfica Britânica, a BPI, os abusos de álcool e drogas afetam apenas uma minoria entre os artistas.
"Uma minoria muito pequena encontra problemas que, por causa de sua fama e sucesso, são apresentados na mídia e recebem maior destaque do que os dos jovens de outras áreas de trabalho", disse a BPI. "Gravadoras sempre procuram apoiar a minoria de artistas que enfrentam dificuldades deste tipo.”

Neto - Fonte: BBC

Escrito por ALYSSON - 10h30
[ ] [ envie esta mensagem]

SET LIST - CIDADE ROCK - 02/09/2007

1º BLOCO

01 - Trapeze - Suicide
02 - Blue Öyster Cult - Domination And Submission
03 - Ufo - Rock Boston
04 - Quiet Riot - Last Call For Rock n' Roll
05 - Van Halen - Somebody Get Me a Doctor
06 - Alcatrazz - Too Young to Die

2º BLOCO

07 - 365 - Cristo Anistiado
08 - Cólera - Deixe a Terra em Paz
09 - Garotos Podres - O Adventista (Camisa de Vênus Cover)
10 - Reatores - Satanás Adorou o Vaticano (Momento Berrock)
11 - Replicantes - Outro Lugar

3º BLOCO

12 - Testament - The New Order
13 - Sacred Reich - Independent
14 - Kreator - No Reason to Exist
15 - Hallows Eve - Suicide
16 - Slayer - Disciple

Mais infos sobre os Reatores aqui: www.reatores.com

Aliás, os dois álbuns da banda estão disponíveis para download gratuito no site oficial. Baixem que vale a pena.

O programa vai ao ar aos domingos, às 19 horas.

Para ouvir, sintonize ou acesse a Rádio Cidade:

Categoria: Programa Cidade Rock
Escrito por ALYSSON - 10h41
[ ] [ envie esta mensagem]

SAINDO DO FORNO

O BEIJO NO ASFALTO - NELSON RODRIGUES

Adaptação em HQ por Arnaldo Branco e Gabriel Góes

Editora: Nova Fronteira

O repertório de histórias e personagens saídos da mente criativa de Nelson Rodrigues, já virou referência para tudo aquilo que beira o escândalo, o bizarro e, acima de tudo, o hipócrita O autor não teve medo de por o dedo na ferida da sociedade brasileira tradicional, moralista e rígida, expondo as mais profundas feridas, estivessem elas sangrando ou purulentas. Criou um imenso repertório ( o escritor foi extremamente profícuo) onde se destacam algumas narrativas que terminaram clássicas. Uma delas é Beijo no Asfalto que já esteve em adaptações teatrais, em filme e agora chega às histórias em quadrinhos pelas mãos de Arnaldo Branco e Gabriel Góes (Editora Nova Fronteira.72 páginas.R$ 19,90).
Para Arnaldo ficou a função de roteirizar a história que foi arte finalizada por Gabriel Góes, e, mais uma vez, temos um texto literário sendo transposto para a arte gráfica dos quadrinhos com qualidade e respeito às duas linguagens. Por isto o nosso envolvimento com a dramática história do personagem rodrigueano Arandir não deixa de acontecer.
O que você faria se presenciasse um atropelamento de um homem e, ao socorrer a vítima moribunda, recebesse dele o pedido de um beijo na boca?
Não sei a resposta de vocês, leitores, o que sei é que o pacato cidadão Arandir presencia o atropelamento de um sujeito, corre para ajudá-lo, ouve o pedido e dá o tal beijo na boca do quase morto. Daí para a frente a sua vida cai num turbilhão de desgraças, desconfianças, acusações e outros infernos, tudo alinhavado por um jornal sensacionalista, um delegado de polícia mal intencionado que manipula os fatos, além de seus familiares, sua esposa, seu sogro e demais coadjuvantes. As acusações que passam a pesar nos ombros do personagem vão desde ter um caso homossexual, até mesmo de assassinato, passando a ameaças e perseguição. O relato é barra pesada e Nelson Rodrigues tece um retrato da moralidade da família brasileira com uma acidez que não permite concessões. O final é trágico e surpreendente.
Com um desenho em preto-e-branco e com um traçado quase tosco, onde se exploram nuances sombrias, Gabriel Góes constrói um clima angustiante que reforça a todo momento o espírito de desespero labiríntico que o autor da obra explorou. Daí a importância da roteirização de Arnaldo Branco que deve ter tido um trabalhão para transpor com tanta precisão a riqueza do estilo original. Mais uma vez contamos com um bom exemplar de que esta parceria literatura/quadrinhos pode gerar um bom trabalho e incentivar novas iniciativas.

Fonte: PoppyCorn / Escrito por: Afonso Rodrigues

Categoria: Resenhas
Escrito por ALYSSON - 10h34
[ ] [ envie esta mensagem]

YOU ARE EXPERIENCE?

Show histórico de Jimi Hendrix em Monterey sai em DVD

O show revolucionário de Jimi Hendrix no Monterey Pop Festival de 1967, que deixou os fãs de rock norte-americanos estarrecidos após o músico incendiar sua guitarra no palco, será lançado em DVD pela primeira vez em 16 de outubro.
"The Jimi Hendrix Experience Live At Monterey" (Universal Music) inclui versões originais, como seu primeiro single, "Hey Joe", e "Purple Haze", além de covers de "Killing Floor", de Howlin' Wolf, e "Like A Rolling Stone", de Bob Dylan.
Um CD e LP da trilha sonora do show, que também serão lançados no mesmo dia, incluem a canção "Can You See Me".
A equipe do diretor D.A. Pennebaker desligou as câmeras durante a canção, e não existe um único quadro de imagem dela no arquivo do diretor, segundo John McDermott, o especialista em Hendrix que cuida do catálogo do guitarrista.
O DVD também inclui um novo documentário, "American Landing", contendo entrevistas inéditas com Hendrix. Além disso, traz fotos raras e extensas anotações.Jimi Hendrix era o grande novo astro do cenário rock londrino, mas era em grande medida desconhecido entre seus conterrâneos quando ele e seus colegas na banda Experience, Noel Redding e Mitch Mitchell, fizeram sua performance de estréia nos EUA no festival de Monterey, perto de San Francisco, em 18 de junho de 1967.
A performance começou com Hendrix sendo apresentado por Brian Jones, um dos fundadores dos Rolling Stones, que descreveu seu amigo como "artista brilhante, o guitarrista mais excitante que já ouvi".
O show terminou 40 minutos depois com um cover de "Wild Thing", durante o qual Hendrix tocou a guitarra nas costas, pôs fogo nela, a estraçalhou e atirou os pedaços à multidão. Sua conquista da América foi arrasadora e total.

Neto - Fonte: Reuters

Escrito por ALYSSON - 10h27
[ ] [ envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]

© Todos os direitos reservados.